A Hiperactividade vista à lupa

Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Hoje foi um dia difícil...mais uma vez o meu filhote não entrou na sala de aula...

Na primeira semana depois do regresso á escola, o Rafa estava muito entusiasmado. Era tão notória a diferença sob o efeito da medicação (agosto foi um pesadelo, pois não tomou absolutamente nada!) que eu me sentia, talvez pela primeira vez, motivada de verdade. No entanto, no final da segunda semana já o seu organismo reage completamente diferente. Embora já esteja acostumada a estes passos atrás, o primeiro ano medicado obrigou a três alterações e ajustamentos na dosagem, parecia-me que agora se notavam modificações mais acentuadas - por exemplo ele conseguia conversar sobre o que tinha feito, deixava o irmão brincar com ele, não dizia palavrões...o que me deixa mais receosa é que em menos de quinze dias, tudo voltou ao que era entes, o efeito da medicação é tão curto que agora termina por volta das 15:00H! Tenho a certeza que não será apenas uma questão de dose/quantidade da substância - ele já toma uma dose de 36mg, acho mesmo que será necessário voltar á Ritalina. Como já disse aqui as crianças não são todas iguais e os seus organismos reagem de modo diferente. O Rafa está a tomar o Concerta que é um comprimido de acção prolongada, cuja substância activa é libertada de modo gradual ao longo de 12 horas. A ideia é dar apenas uma toma diária e conseguir que a criança não tenha um impacto tão forte de manhã (como acontece nas primeiras 4 horas do Ritalina) e também não tenha uma fase de descompressão tão abrupta. Mas no organismo do Rafa não funciona bem assim...outra situação é do risperidona que o Rafa toma para controlar a agressividade, as variações de humor e ajuda-o a acalmar para dormir. O médico acha que deve ser necessário ajustar a dose, uma vez que toma a mesma quase há um ano.

Hoje deixei-o no portão da escola mas quando ainda estava no infantário para deixar o Francisco, já me estavam a ligar porque ele não entrava...e não entrou, apesar de lá ficarmos até ás 10:00H..depois foi o «normal» chorrilho de disparates, muitos gritos, palavrões, só regressando alguma serenidade depois das 21:00H. Entretanto adormeceu (tinha acordado hoje ás 06:40H)

Entretanto e para ajudar, também o Francisco está a fazer a cabeça em água ás educadoras. Parece que engole pilhas novas todos os dias, ontem que até teve um passeio a uma quinta, para ver de perto as vindimas, esteve impossível, pelo que ao fim do dia tinha recadinho para me reunir com a educadora principal, ainda esta semana...

E pronto, lá vou eu tentar pôr a minha cabecinha em ordem, porque sem ela fico perdida, lol!

postado energia-a-mais às 22:13

Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Cá em casa as crianças são encorajadas a exprimir pela arte as suas emoções. Por arte, entenda-se um conjunto muito vasto de meios e ferramentas que deixam transparecer o que vai na alma! A arte é subjectiva porque pode ser interpretada de muitas formas e reinterpretada sempre que se queira.

Quando o Rafa está contente gosta de música: pode cantar , ouvir ou mesmo tocar um instrumento. Gosta da flauta mas quando só assobia de forma estridente está apenas a deixar sair a energia em excesso. Quando se irrita, ouvimos gritos e muito barulho, feito normalmente com tachos e batendo na parede com vários objectos. Também adora encher vários copos com água em diferentes níveis e diverte-se a fazer sons. O Francisco gosta de dançar até cair, gosta de saltar ao som da música de verão «vamos á praia» e tocar na viola do irmão.

Os dois adoram pintar, usando sobretudo aguarelas, guaches e tudo o que possam para usar o pincel. Gostam muito de marcadores para pintarem as paredes e almofadas. O Francisco gosta de se pintar a si próprio. Usa muitas cores diferentes e parece um índio quando chega ao infantário.

Adoram teatro de fantoches e representam as histórias dos três porquinhos muito bem, sendo que o Rafa quer ser o Lobo Mau mas só na hora de soprar, o pior é que esse é também o papel do Quico!

Agora têm estado a fazer recortes e colagens pelo que a sala se encontra literalmente coberta de papéis que o Rafa me fez prometer não retirar antes de ele regressar da escola!

Pronto, tenho dois filhotes artistas o que é sempre bom para animar as coisas!

postado energia-a-mais às 11:50

Domingo, 28 de Setembro de 2008

Todas as Vidas são feitas de avanços e recuos, até as vidas (aparentemente) perfeitas. Todos temos momentos em que não esitamos em dizer que somos felizes e outros em que nos achamos os maiores azarados do mundo. A maioria de nós tende a valorizar os momentos menos bons, talvez porque eles nos incomodam mais, ou então porque achamos que só nos acontece desgraças. No entanto, como depressa aprendi, tudo é relativo. Há vidas tão complicadas que acabamos por nos sentir priviligiados, por difíceis que sejam os nossos problemas. Pelo menos eu penso assim!

Esta semana dei comigo a pensar nos avanços e recuos...é que ao longo dos 7 anos e pico do Rafael, nós pais, já nos habituamos a sentir cada avanço como uma vitória e aprendemos a relativizar os recuos. Desde que iniciou a medicação, há cerca de ano e meio, o Rafa teve alterações importantes. No início do tratamento, entusiasmados com as diferenças que o comprimido provocava, logo no imediato, quase entramos em euforia. Depois começavam os retrocessos e nós desanimavamos... Tivemos de ir aprendendo e fomos construindo expectativas bem mais realistas! O comprimido não é mágico, não é a solução eterna, e muito menos uma cura... é uma via necessária, uma intervenção a longo prazo e, por enquanto a única que nós pais podemos e devemos controlar, para bem da estabilidade do Rafael.

Acredito que ele está em boas mãos, sei que tenho de ir devagar, prefiro por isso concentrar-me nos avanços permitidos pela medicação - ser positiva ajuda-me a dar segurança ao meu pequenino, a fazê-lo acreditar em si próprio e motiva-me quando aparece um momento menos bom.

 

Com medicação o Rafa consegue:

 

  • aceitar melhor as idas á escola
  • permanecer mais tempo concentrado com as tarefas escolares
  • entender melhor as idas/vindas do pai
  • aceitar as ordens que lhe damos
  • discutir menos comigo, com o pai e com o irmão
  • brincar mais com os avós
  • deixar de usar palavrões quando está irritado (não diz nenhum durante a manhã)
  • deixar de usar palavras feias quando fala (gosto muito deste)
  • gritar menos quando está sozinho
  • controlar melhor o seu humor
  • compreender melhor as caracteristicas da sua doença e por isso entender melhor a sua personalidade

No caso dele, esta semana foi complicada, parece que o seu organismo se «adapta» muito rapidamente e por isso constatei que o efeito da medicação é muito curto (devia durar até ás 20:00H mas termina por volta das 17:00H). Assim, tivemos uma espécie de retrocesso, o Rafa entra em casa muito enérgico e dorme mal. Fez crises semelhantes ás que faz sem medicação e teve um recuo em relação á agressividade...também está menos autónomo, voltou a não conseguir vestir-se sozinho (tenta mas distrai-se e nunca mais termina, por isso grita) e regressaram medos e  fobias que pensavamos estarem afastadas! Depois de um telefonema urgente ao médico, combinamos que seria melhor o Rafa ter nova consulta o mais rápido possível, depois conto o que se passou...

 

postado energia-a-mais às 23:03

Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

Fui desafiada pela Sandra (blog dois moranguinhos) a contar um pouco mais sobre mim. Achei um desafio giro e então cá vai:

 

 

o que fazia eu há 10 anos

Ano mágico. Entrava para o clube das casadas, mudava de casa e de emprego. Um dos melhores anos da minha vida!

 

 

o que fazia o ano passado

Vivia o primeiro ano de vida do Francisco - primeiro dente, primeiros passos, primeiras palavras; e o primeiro ano de escola do Rafael - primeira medicação, primeira vez que entra na sala sem gritar, primeiras frases escritas sozinho

 

 

5 snacks que gosto

Um bocadito difícil. Não sou muito fã de snacks, opto por colocar os meus petiscos de domingo mais um snack a sério, ok?

  • camarão selvagem «ao alho»
  • ameijoas vietnamitas com molho extra picante (feitas pelo meu pai)
  • crepes chineses apimentados de legumes (feitos por mim)
  • salada de bacalhau com grao (á moda do meu marido)
  • snack de cones de milho da matutano

 

5 canções que sei de cor

Esta também é difícil. Tenho um óptimo ouvido para letras, ouço uma vez e capto logo. Algumas ficam para sempre, estas são as preferidas

 

As de agora

  • Paixão - Rui Veloso
  • Chuva - Mariza
  • Estrada - Mafalda Veiga
  • Intervalo - Perfume e Rui Veloso

A eterna

  • Imagine - John Lennon

 

5 coisas que não voltaria a vestir/calçar

  • Botas com cano de lycra
  • Saltos agulha
  • Calças á boca de sino
  • Casacos/blusas com ombros c/ almofadas
  • Saias de peito

 

5 brinquedos que gosto

  • os da chicco, são o máximo
  • os de madeira - tenho uma colecção deles (comboios, carretinhas, piões...)
  • os bonequinhos de papel com roupinha de papel que se pode trocar e combinar
  • a fábrica de cerâmica da Disney
  • o toucador com todos os pormenores que ofereci á minha sobrinha

e já agora ninguém perguntou mas digo um que detesto - a Barbie

 

 

5 blogs que desafio

  • pipokinhalinda
  • onossopirilampo
  • mil_sorrisos
  • no_teu_amor
  • mamaepedro

Está feito!!

 

tags:
postado energia-a-mais às 23:13

porque publicou um texto meu sobre hiperactividade.

Beijinhos Raquel

postado energia-a-mais às 16:29

Já ouviram uma criança hiperactiva a falar? É que elas falam pelos cotovelos, falam, falam, falam...Desculpem mas é mesmo assim, sentimo-nos esgotados só de os ouvir...muitas vezes a conversa é tão rápida que parece nem ter encadeamento, eles falam de tudo e sobre tudo....torna-se um massacre! O Rafa é assim, fala mesmo muito. Sempre falou, com dois anos o meu filho era um autêntico papagaio, falava sem parar. E nunca mais parou!

Com a medicação o meu menino fica mais calmo e isso também se nota na conversa. Só que quando chega da escola já vem praticamente sem efeito....além disso, parece estar numa fase que é típica neles (é aliás uma das características que desde logo os destinguem das outras crianças, onde a separação simbólica da mãe e por consequência, o ganho de autonomia, se dá por volta dos 2 anos) que é a exagerada dependência da figura materna. O Rafa tem tanto medo da separação como quando era bebé! Continua a ser uma criança que necessita de muita atenção e muitos cuidados...

 

Ontem ouvi o Rafael falar consecutivamente, desde as 20:00H até ás 22:30H. Não, não estou a exagerar, ele não parou mesmo de falar durante estas duas horas e meia! Além disso, era uma autêntica sombra de todos os meus gestos, estava tão colado a mim que chegava a tropeçar nos meus pés! Quem estava baralhado era o Francisco que por mais que chamasse o irmão para jogar a bola ou saltar no colchão, ele não ia...

Confesso que ás tantas passei a responder por monossílabos tipo: «hum, hum, é, é, sim, sim...» e não me recordo nem de metade do que ele disse. Falou da escola e de telemóveis e de tazos e de corrida e de músculos e de água e de internet e de...

Quando o Francisco já estava pronto para dormir tive mesmo de o mandar calar e ficar um pouco sozinho na sala, senão o irmão não adormecia!

Depois voltou ás conversas (mesmo enquanto eu lia a história que me pediu) até ao momento em que adormeceu...

De tanta conversa recordo uma frase que me disse e que  ilustra a pérola que tenho  «És a melhor mãe do mundo»

 

postado energia-a-mais às 14:13

Já os experimentei, estes são os meus preferidos:

 

  • Truque da cebola: sabem aquelas noites horríveis, em que ninguém consegue dormir porque lá em casa está alguém com muita tosse? Pois eu já experimentei e resulta - corta-se uma cebola ao meio, deixa-se num pratinho com as metades viradas para cima (com casca) junto da cabeceira de quem está aflito com tosse! Vão ver que depois de uns minutos, a tosse desaparece e pode-se dormir descansado
  • Truque do leite: já existem produtos para isto mas como diz a minha amiga N. pode-se evitar comprar certas mariquices, este truque faz o mesmo efeito, para eliminar os odores do frigorífico basta deixar leite numa tacinha sem tampa, dentro do mesmo
  • Truque do limão: a mesma coisa, é caseiro e fica mais barato do que os de compra - para deixar o microondas limpinho e bem cheiroso por dentro, colocar umas boas rodelas de limão em água, num recipiente e deixar uns minutos lá dentro na máxima potência para a água ferver

Estes são para uso culinário:

  • Se pôs mais sal na comida do que o desejado, coloque uma meia batata com casca na última fase da cozedura, a batata absorve o sal em excesso
  • Para as claras em castelo fiquem bem firme e brilhantes acrescente umas pedrinhas de sal, antes de as bater 

Pronto, estes são os meus, agora deixem os vossos e vamos partilhando!

 

 

 

postado energia-a-mais às 13:56

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

Hora de almoço. A educadora do Francisco liga-me para o telemóvel. Isso não é muito habitual, por isso pensei o pior! Diz-me que quando tiravam os meninos do pote, ela e a outra educadora tinham reparado numas manchas arroxeadas, uma de cada lado das nádegas do Quico...suspirei! O meu filhote nasceu com manchas mongólicas no rabito - não é uma situação muito conhecida mas na altura o pediatra explicou que se trata apenas de um pigmento que provoca essas manchas, não sei porque têm esse nome mas é como estão descritas pelos médicos. Não se trata de nehuma patologia ou síndrome e na maioria total dos casos conhecidos elas desaparecem por volta dos 4/5 anos...mas então, como é que é?! elas estão com o Francisco desde o ano passado e só agora vêem as manchas? Disse-me que sempre notaram a mancha central (ao fundo das costinhas) mas que estas lhes pareceram mais nítidas hoje, ou então seria da luz...explicada a situação, pensei logo em tirar da net algo sobre o assunto. Porque é que fiquei com a ideia de que elas acharam que tinha sido o Rafa a fazer  aquilo ao irmão?

Fim da escola. Fui buscar o Rafa primeiro. Quando vejo a roupa em desalinho, a transpiração no rosto e o modo brusco como se despede dos colegas, confirmo o que sabia desde segunda feira, a fase da descompressão está a acontecer mais cedo do que devia. O medicamento deve ter um efeito de cerca de 10 a 12 horas...ora se toma ás 08:00H e ás 17:30H já está assim, tenho de ligar ao médico...embora ainda note os efeitos durante a manhã, parece-me que o organismo do meu filhote metaboliza a substância muito depressa, ora isso não é bom! Terá de voltar ao comprimido a meio da tarde? - o Rafa detesta porque tem de o tomar na escola....

Fui buscar o Francisco, ainda estou a entrar e a educadora: «ai, mãe o Francisco hoje tem estado demais!!» Parece que não deu sossego a ninguém, os ralhetes de nada valem, os castigos não produzem efeito...diz-me ela «nós até já comentamos que se ele estiver assim em casa  a senhora não aguenta muito mais tempo...ainda por cima dois!!» Será que acham que estou perto do colapso nervoso? É que tenho a certeza de que não vou ter tempo para isso....

postado energia-a-mais às 23:45

Ainda não sei bem como classificar o dia de ontem...digam vocês o que pensam!

De manhã fui a uma entrevista de emprego. Já há algum tempo que procuro um emprego a tempo inteiro...mais precisamente desde há um ano - depois do nascimento do Rafa fui ficando em casa por uma espécie de opção (in) voluntária, uma vez que as dificuldades em acompanhar a evolução do meu filho foi obrigando a isso. Uma vez que me encontro fora do mercado de trabalho (pelo menos na minha área de formação) há cerca de 7 anos, comecei por uma reciclagem, aceitando um estágio não remunerado numa empresa de trabalho temporário fazendo sobretudo entrevistas, selecção e acompanhamento de possíveis candidatos. Ora, nem de propósito entrei no mundo da precariedade laboral que me parece ser cada vez mais a nossa triste realidade! Findo o estágio em Fevereiro deste ano, lá comecei as intermináveis buscas de algo que pudesse ser mais perto de casa, para compensar os tristes salários que nos pagam...fui enviando currículos e entretanto fui chamada á tal entrevista numa empresa de segurança e higiene no trabalho, mesmo aqui ao lado...

Bom começa a entrevista e lá vem a pergunta que detesto - «então quais são as suas expectativas salariais?» e eu evitando o que me vinha á cabeça «expectativas?! há 10 anos atrás eu ganhava 1000 euros líquidos como directora de marketing numa grande empresa de informática», respondo educadamente «bom, obviamente espero ser recompensada de acordo com as minhas funções e o que esperam de mim»; segunda pergunta que detesto «pois então está parada há 7 anos?» mais uma vez escondo o que penso «parada?! bom este nunca deve ter olhado bem a realidade das mães, vou ter azar...» respondo «fui aproveitando para estudar um pouco mais sobre matérias que me interessam e usando a minha experiência de outro modo»; terceira pergunta e que realmente detesto pois é quando nos dão a sentença final «tem dois filhos? pequenos ainda?» abdico totalmente de dizer o que quero e «pois tenho um com 7 e outro com 2 anos, mas estão na escola e infantário durante todo o dia, já os coloquei como prioridade mas agora estão bem entregues!» E para rematar «até que horas poderá trabalhar?» ele estará a falar a sério? Bem, tendo em conta que os meus pais podem ficar com os miúdos entre o final da escola até ás 19:00H (mais seria um massacre pois aturar um Rafael em fase de descompressão e o Francisco cada vez mais arrebitado é dose!) digo «bem, poderei ficar até ás 19:00H...»

Consegui compreender de imediato o «hum,hum...» que ouvi do entrevistador...depois vim embora com a informação que depois de feitas todas as entrevistas, serei contactada...pois sim!! Afinal como é que é?! Não se pode pensar em ter uma justa recompensa por aquilo que trabalhamos? E por ter estado desempregada mas tendo uma casa para orientar temos menos validade para o trabalho? E por ser mãe a tempo inteiro somos penalizadas? Como querem aumentar a natalidade num país que penaliza as mães descaradamente? Serei utópica em achar que é possível conciliar maternidade e dedicação laboral?!  O que dizer então de países em que as empresas são obrigadas a garantir o posto de trabalho da mãe até a criança ter 3 anos, se esse for o desejo dela?! O que dizer das políticas sociais das empresas que garantem creches e infantários ás crianças dentro das suas instalações ou ao lado, para que as mães consigam conciliar o tempo de trabalho e usufruir dos seus direitos (como o direito a amamentar, por ex.) e o facto dos horários serem flexiveis e pensados para a família, colocando a qualidade de vida como principal objectivo? Os pais terminam o seu dia ás 15:00H para poderem ir buscar os filhotes que saem ás 16:00H e têm um dia por semana totalmente livre da parte da tarde para poderem estar mais tempo juntos...são eles  que estão errados? É que o nível produtivo desses países é manifestamente superior ao nosso!!! Como explicar?!

O post vai longo mas o dia não acabou por isso e porque agora vou ter de fazer reposição de géneros na despensa, conto o resto mais logo....

tags: , ,
postado energia-a-mais às 14:29

Terça-feira, 23 de Setembro de 2008

Bem, amigas! Eu nem sabia que havia tantas adeptas do meu estilo «despojado», eh,eh...mas também, com a falta de tempo que temos, este é um estilo cada vez mais apetecível! Além disso, podemos sempre usar uma boa desculpa para não convidar aquele familiar que só vem para chatear...tipo, «bem eu convidava-te a jantar mas não tenho onde te sentar!»

Mas como já vi que isto da decoração é uma coisa interessante, lembrei-me de fazer um post sobre um tema que para mim tem um significado especial. Nos tempos de faculdade tive o prazer de me cruzar com uma daquelas pessoas que nos tocam para sempre. A minha grande amiga Sissi que agora organiza a sua vidinha em Londres, com quem aprendi muitas coisas que continuei a pôr em prática e que me dão muito jeito até com o Rafa. Para além da paixão pela arquitectura de interiores, a Sissi ensinou-me muito sobre estilo de vida oriental que recorre a muitas filosofias milenares e que podemos adaptar á vida moderna!

A cromo terapia foi uma delas - a terapia pelas cores pode parecer um pouco estranha, na verdade não tenho experiência e não posso dizer que resulte! No entanto compreendo que a escolha das cores nos afecta de diversas formas e não é á toa que a côr assume em cada sociedade um papel simbólico tão importante. É através da côr que expressamos certos sentimentos mesmo a nível social - a escolha do preto para o luto, por exemplo...ou quando queremos elogiar o aspecto de alguém dizemos «tás com boas cores!»

Na decoração a côr tem uma influência directa na criação do ambiente que desejamos. No quarto dos miúdos e dependendo também da sua personalidade podemos escolher uma paleta variada, respeitando no entanto a harmonia e evitando certas cores.

Se a sua criança tem o mesmo problema do Rafa, vai ver que a escolha correcta das cores pode ajudar em muito e tornar o quarto um local mais apropriado (mesmo que não seja hiperactivo o filhote vai gostar...)

 

  • Azul - uma das cores que mais pode usar: pode variar entre vários tons desde o azul bébé, o azul celeste, ou mesmo o turquesa - o azul acalma, tranquiliza, relaxa. É também uma côr ligada ao dom da comunicação, pode ser uma boa escolha para a área de estudo pois permite uma calma propícia á concentração 
  • Laranja - é uma côr associada á juventude, á energia positiva e ao divertimento - pode ser usada em acessórios como almofadas, pufs, mesas, etc. pelo que pode ser uma boa opção para a zona de brincadeiras
  • Verde - é a côr do relaxamento típica (desde que um verde suave) é por exemplo muito usada pelo reiki como motivadora da meditação e da reposição de energia. Pode usar um tom de verde suave para a zona de dormir
  • Amarelo - deve ser usada com cuidado pois é uma côr mais estimulante e não resulta muito bem no quarto
  • Vermelho - não deve usar de todo! É a côr da excitação o que para uma criança com hiperactividade tem um efeito «bola de neve»...se o ambiente excita, a criança pode ter mais dificuldade em dormir, por exemplo

O mesmo conceito pode ser aplicado no vestuário. Uma criança fica mais nervosa e excitada se usar cores como o vermelho, ou, pelo contrário sentir-se mais calma, se escolhermos uma roupa em tons de azul. Castanhos e cinzas são monótonos por isso usamos acessórios em contraste para dar mais vida. Depois é só combinar com o bom gosto das mamãs e temos miúdos todos giros e cheios de estilo.

Espero que achem interessante e ponham em prática!

 

 

postado energia-a-mais às 15:04

mais sobre mim
que querem saber?
 
Setembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

14
16
19
20

21
26
27



disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro