A Hiperactividade vista à lupa

Segunda-feira, 29 de Março de 2010

 

Completamente «afirmativas»

 

do Quico «eu vou struir a casa mamã, eu consigo struir a casa mamã!»

 

do Rafa «hiac...que nojo, NUNCA vou dar beijos na boca de uma miúda!»

 

do Quico «não quero esta pilinha, a minha pilinha é muito gande!»

 

do Rafa «não quero ter cabelo de tigela, calças de ganga e camisas de botões, nunca...»

 

De resto este fim de semana, correu entre menos tempo a dormir, mais tempo a saltar, mais tempo a gritar, mais tempo de moer o juízo e atiçar o espírito de duas semanas de férias...

 

Eu tenho cada vez menos esperança que a Páscoa seja de calma e amor já que pelo exemplo da queda do Quico, ontem à noite (caiu de cabeça para baixo, da minha cama) e das brigas entre eles, das quais andam todos esfolados, a coisa não vai ser pacífica...e ainda tivemos uma péssima notícia - a de que o Pai não vai poder vir a casa...

 

 

tags: ,
postado energia-a-mais às 11:38

Sexta-feira, 26 de Março de 2010

 

fresca e húmida, a cheirar a Primavera, é bom!

 

não, não fui viver para outro país (por cá chove e parece que continuamos mergulhados no Inverno!) mas tive essa experiência e não podia deixar de partilhar!

 

é que se vos parece apelativo, esperem até saber onde senti a terra húmida....

 

 

Pois que os meninos da sala do Quico, estiveram estes últimos dias, a entrar no espírito Primaveril! fizeram trabalhinhos sobre o tema, coloriram a salinha com novos desenhos, fizeram flores de papel e plantaram uma flores em vasinhos pintados por eles - coisa linda!

 

Depois trouxeram para casa a sua plantinha para cuidarem e fazerem crescer, com o objectivo de registarem o momento em que nasce a flôr! Portanto chega o Quico orgulhoso com o seu vaso e logo o Rafa quase «estrafega» a pobre da planta!

 

Levam o vaso para a cozinha, o Rafa que anda a estudar os seres vivos e a reprodução das plantas, resolve fazer uma lição ao vivo - vai de esmiuçar o vaso, revirar a terra, tirar as raízes para fora...e encontra uma minhoca!

 

Foi a loucura! partem para cima da pobre bixa, aos gritos, o Quico a querer ver sem pegar, o Rafa querendo ser «valente» mas com intuito de atirar com ela para cima do irmão...

 

Correm pela casa, reviram umas quantas coisas e deixam a minhoca em cima de um guardanapo a fazer de mascote...comem com ela ao lado, sempre que a desgraçada tenta escapar eles levam-na de volta ao papel...entretanto o vaso aterra no meu quarto!

 

Claro que depois se cansaram e voltaram ao vaso a ver se a minhoca tinha família...reviram e atiram com a terra para todo o lado com a ajuda de uma colher de sopa...e pronto! como andaram nisto já era noite escura, eu deito-me e literalmente sinto a terra húmida e fresca da Primavera na cama!

 

Ora não há nada mais natural do que sentir-me pronta para a mudança de estação - e de hora, é bom não esquecer!

 

Beijos e bom fim de semana

 

 

postado energia-a-mais às 11:22

Quarta-feira, 24 de Março de 2010

Ora deixa ver...

 

 

cá por casa

 

 

ontem, dia 23, tivemos os festejos do ANIVERSÁRIO da nossa velhinha! são 89 primaveras felizmente a fazer adivinhar um momento bem redondo no próximo ano!

 

as loucuras dos miúdos incluíram uma birra monumental do Quico que queria ser o aniversariante e que por isso boicotou as tentativas de soprar as velas, cortar o bolo e ofertar umas lembrançinhas!

 

o mais que conseguimos foi pô-lo a fazer o brinde, equilibrado numa cadeira com a máquina das fotos numa mão e na outra um copo de plástico (ainda não vi as fotos e não sei se quero...)

 

 mudando de assunto caseiro

 

continuo com ganas de mandar a net às urtigas, ou pelo menos mandar a instalação da vodafone para um sítio que continua a ser o mais popular nestes casos...ora tenho, ora não não tenho, ora acedo, ora não acedo, ora dizem-me que é da pen ora do pc...irra!

 

 

por causa disso, ando super atrasada em leituras, mails e blogues...enfim, coisas a que nos habituamos com facilidade. Além disso, tenho trabalho em atraso...ai!

alguém sabe qual é o padroeiro das tecnologias para eu acender uma velinha?

 

da vizinhança - pois que já não posso...eles são indirectas, «bocas» ao estilo nortenho, piadas de cuscos sem mais nada para fazer...recados e paus mandados são coisas que não suporto! então o homem do lado agora manda dizer que vai escrever ao proprietário da minha casa (senhorio) para que este lhe dê uma indeminização por danos, causados pelo bater da minha porta????? e se apanha qualquer coisa nossa na entrada do prédio joga no lixo - o qeu aconteceu com uma lancheira do Quico que eu tinha deixado ficar nas caixas de correio enquanto fui tomar um cafezinho mesmo ao lado da porta....

 

 

é que estou mesmo a ficar sem pachorra! alguém me segure....

 

 

na escola

 

O Quico faz tremendas birras matinais, acabamos sempre com discussão, no entanto tem andado mais seco. A educadora diz que ele detesta participar nas actividades mais trabalhosas, como os desenhos, registos das histórias ou trabalhinhos temáticos (do pai, da primavera...). O que gosta mesmo é que o deixem andar à vontade, brincar pela sala, mexer nos livros, atirar com coisas pelo ar, enfim, brincar, brincar...Regras não parece ser coisa que lhe agrade! tenho pena...filhote, vais ter que te habituar! a mamã não deixa de te levar, vai falando com a educadora, vai ficando atenta mas confia que te faz muito bem começar desde cedo a perceber que o espaço da escola é mesmo para continuar a fazer parte da tua vida!

 

O Rafa foi escolhido para participar nos campeonatos distritais de matemática , fiquei super babada por saber que tenho em casa um pequeno génio dos números hehehe! Ele ficou excitadíssimo, embora ainda não perceba muito bem o que acontece num campeonato de matemática...pois filhote, nem eu! se há coisa em que não sais mesmo á mamã é na queda para as matemáticas!

Depois actualizo

 

e pronto! chega de novidades por agora que preciso aproveitar a «coisa» enquanto funciona!

 

 

 

tags: ,
postado energia-a-mais às 13:03

Segunda-feira, 22 de Março de 2010

 

tão tristes que às vezes fazemos ...

 

Ou melhor, que os meus filhotes nos fazem passar!

 

Pois que resolvemos festejar em família (aproveitando a rara vinda do pai) o tal dia dedicado ao senhor pai da casa!

Como nas respectivas escolas os meninos tinham feito as suas surpresas

 

o Quico - festa para os pais, com direito a canção intrepretada pelos meninos e que o Quico entoa desde aí com grande vigor

 

«gosto muito mo meu pai!

mo meu pai tão quidinho

vou dar-lhe uma pendinha

um abraço e um beijinho!»

 

bolos e petiscos e pinturas variadas, mais um fabuloso tapete de rato, decorado a preceito - hand maid!

 

O Rafa - bonito poema emoldurado, feito por ele e com ajuda da professora para corrigir e emoldurar, um lindo marcador de livros e uma foto especial para recordar um belo momento dos dois!

 

em casa só fiz bolinho e demos uma rosa amarela por ser tradição e porque é a preferida do Pai.

 

Por isso o sábado foi pensado para estarmos em família e fazer um programinha

 

Ora então lá fomos até ao Europarque, para visitar o Visionarium, o nosso centro de tecnologia e ciência!

 

Muito bom, pensamos, pode ser um belo pretexto para os ter-mos mais controlados pois que ficarão entusiasmados com as experiências à sua volta!

 

Sim? bem...mais ou menos

 

De facto passamos o tempo todo a tentar impedir acidentes mais ou menos graves, a socorrer outros visitantes que eram alvos das investidas dos meus enérgicos moços e a tentar manter o espaço intacto...

Agora estão a ver dois a figurinha de dois adultos a segurar um monte de objectos, tentando equilibrar dois monstrinhos que se atracavam a tudo o que balançava e só queriam carregar em tudo o que era botão, sempre em garnde alarido? Claro que uma vez por outra, os conseguimos parar para verem de perto algo que tentavamos mostrar, de resto foi sempre em passo acelarado (corrida)...passavamos pelas salas como verdadeiros furacões!

 

Depois, ter ao nosso lado dois «exemplares» que lambiam os vidros e espelhos, de dedo espetado no nariz, com tiradas destas «Ó mãe põe ali o dedo, ali mãe...o dedo do pé para cheirar o chulé!» ou «pára cagona, não quero o gogute

 

Mas pronto, somos nós ao nosso estilo!

e ontem tivemos direito a festejos extra, por estas bandas o coração é vemelho, hehehe!

 

Boa semana

 

 

 

sinto-me: em início de semana
tags: , , ,
postado energia-a-mais às 11:06

Sexta-feira, 19 de Março de 2010

 

Quico «O meu Pai é lindo e fofinho»

 

Rafa «Gosto muito do Pai porque ele brinca comigo»

 

«O Pai gosta muito de mim e é muito fixe, quando ele não me dá uma coisa, gosto na mesma»

 

«O Pai é muito quidinho»

 

 

 

 

Ver imagem em tamanho real

 

A todos os Pais, ao meu em especial

 

Porto

 

Abrigo

 

                                       Incondicional

 

 

e que um dia os meus filhos, vejam isso no Pai deles

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:06

Quarta-feira, 17 de Março de 2010

 

opá eu sei!

 

isto de ter aqui o mesmo post à uma porrada de dias, é de quem só pode ser uma «desnaturada»!

 

tenho saudades de escrever, de ler os vossos cantos e de me divertir com a blogosfera....

 

mas, apesar de ter muitas ganas de andar por cá, tenho tido um enguiço informático que só pode ser explicado pelo meu feitio de «emperrar» tudo o que é máquina!

 

Prometo voltar com novidades nos próximos dias - se entretanto o raio do pc ou da net, me derem tréguas....

 

 

sinto-me: enguiçada!
tags: ,
postado energia-a-mais às 11:22

Segunda-feira, 08 de Março de 2010

 

(olha o rufo  faxfavôri...)

 

 

para os mais brilhantes actores de uma verdadeira saga familiar

 

Rafa e Quico

 

pelo admirável desempenho neste fds, vencedores em todas as frentes, em todos os estilos

 

Drama

nas várias crises do Rafa que aproveitou cada momento para provocar choradeira entre os mais sensíveis

nos momentos críticos depois de uma queda feia do Quico que escorregou no chão do sala, em alta velocidade

 

aventura 

 

 

 

 

quando nos confrontamos com a incerteza se depois de tanto murro no pobre do «magalhães» ainda haveria computador no final do fds

ou com a arriscada «brincadeira/luta» em cima da minha cama que obrigou a apurada missão de «salvamento» da qual nenhum queria ser salvo

 

comédia

 

 

 

quando o Quico se transformou em polícia/homem-aranha/quatro-braços e foi para a rua assustar todos os que passavam com os seus dinossauros de estimação

ou da sua hilariante conversa com o cão da vizinha do piso de baixo, numa espécie de manifesto pela liberdade de expressão canina

 

Entrego ainda os prémios

  • no argumento - como pode sobreviver uma família, fechada em casa com dois maquiavélicos terroristas, sabedores de todas as tácticas de persuasão e cientes do seu irresistível encanto
  • na banda sonora - sempre interpretada de forma excelente, a versão original de uma canção com uma letra ousada e «irreverente», cujo refrão insistentemente repetido tinha a palavra «cagona» em destaque
  • no guarda roupa - maravilhoso e que serviu para testar a eficácia de vários detergentes na remoção de todo o tipo de nódoas
  • e até no cenário - autêntico campo de guerra com grande parafernália de objectos que eram conhecidos e ficaram irreconhecíveis

e só não entrego os prémios carreira porque acho que isto ainda vai dar muitas sequelas até ao episódio final....

 

Já agora adivinhem que ficou com o prémio para

 

«a mais irritada, estoirada, descabelada, chalada que tenta parecer normal, controlada e descansada, para ninguém topar que precisa de receita médica »

 

 

sinto-me: oscarizada
tags: , ,
postado energia-a-mais às 09:41

Quinta-feira, 04 de Março de 2010

 

choca mesmo

 

é que pode acontecer a um dos nossos filhos

 

 

 

 

Criança que se lançou ao rio Tua era há algum tempo agredida verbal e fisicamente

04.03.2010 - 07:36 Por Ana Fragoso

 

 

Foi instaurado um inquérito sobre o caso de suicídio de uma criança de 12 anos em Mirandela. Colegas e familiares afirmam que o aluno era uma vítima de outros estudantes e até já identificaram os agressores.
Buscas no rio Tua Buscas no rio Tua (Joana Oliveira)


 

 

 

 

O conselho executivo da Escola Luciano Cordeiro, em Mirandela, recusa-se a fazer qualquer tipo de comentário ou a prestar declarações sobre a possibilidade de Leandro, a criança de 12 anos que anteontem se lançou ao rio Tua depois de ter sido agredido por colegas, ser vítima de bullying. "Não há ninguém disponível para falar com jornalistas", avisou uma funcionária da escola.

Foi o presidente da Associação de Pais, José António Ferreira, que informou que a escola e a própria Direcção Regional de Educação do Norte (DREN) já tinham instaurado um inquérito para apurar o que aconteceu dentro daquele estabelecimento escolar e para averiguar a possibilidade do rapaz ser vítima de bullying, como alguns colegas e familiares afirmam.

A avó do Leandro, Zélia Morais, disse ao jornal A Voz do Nordeste que, com alguma frequência, o jovem era agredido verbal e fisicamente, relatando que há cerca de um ano chegou a ser hospitalizado, após ser agredido por colegas de escola, fora daquele estabelecimento. "Bateram-lhe ao pé da estação", conta, e como consequência ficou uma noite internado no Hospital de Mirandela.

José António Ferreira assegura que não há registo de casos de bullying naquela escola e que a criança em causa não está sinalizada. Mas Zélia Morais acrescenta que a mãe do Leandro chegou a ir várias vezes à escola. "Sempre a atendiam muito bem mas depois não faziam nada, como não fizeram", desabafou.

Nesta terça-feira um colega de turma presenciou a agressão: "Foi um rapaz e uma rapariga, namorados, bateram-lhe e ele ficou a chorar", disse, desconhecendo as razões que levaram "os grandes", com 14 ou 15 anos, a agredir o Leandro. "Batiam-lhe às vezes", continuou.

Agresssores identificados

Os supostos agressores já foram identificados e estão a ser acompanhados por um psicólogo na própria escola. Os colegas de turma ontem só tiveram aulas no período da manhã e alguns aproveitaram a tarde para ir espreitar ao rio, acompanhar as buscas e tentar saber se já tinham encontrado o amigo. Alguns não querem falar, outros, sem reservas, confirmam que há um grupo "de três ou quatro" estudantes mais velhos que gosta de se meter com os mais pequenos. Uma versão confirmada por um primo mais velho de Leandro. "É verdade que lhe batiam. Quando eu via, defendia-o", disse. Este jovem acompanhou os últimos momentos de ira do Leandro que, na terça-feira, faltou à aula de Inglês, a última da manhã, e saiu disparado da escola a anunciar que se ia atirar ao rio. "Já queria atirar-se da ponte, eu é que peguei nele", conta, enquanto mexia energicamente as mãos, mostrando algum nervosismo. "Depois desceu pelas escadas, foi ali para o parque de merendas e de repente tirou a roupa e meteu-se na água. Nós vimo-lo a levantar os braços e depois já ia lá em baixo", disse, explicando depois que a correnteza da água depressa afastou das margens o corpo frágil do rapaz.

Três primos e o irmão gémeo do Leandro assistiram a tudo, enquanto gritavam desesperadamente e algumas pessoas que passavam àquela hora na ponte chamaram de imediato os bombeiros.

Leandro frequentava o 6.º ano, o irmão gémeo frequenta o 5.º ano, razão pela qual nem sempre estavam juntos, o que deixava o Leandro, mais tímido e reservado, numa situação de maior fragilidade.

A Coordenadora do Programa de Saúde Escolar do distrito, Manuela Santos, diz que um estudo realizado em 2009, em coordenação com a Universidade do Minho, revela que o fenómeno do bullying existe em todas as escolas da região. "Fizemos inquéritos a 3891 crianças do 1.º ao 6.º ano. Na Luciano Cordeiro 11% das crianças inquiridas afirmaram que já tinham sido vítimas de agressão por parte dos colegas três ou mais vezes".

Graça Caldeiras, a mãe de uma criança de 10 anos que frequenta aquela escola confirmou esta realidade, queixando-se à agência Lusa que o filho está a ser vítima de agressões por parte de colegas, motivo pelo qual a criança se recusa a ir à escola e está a ser medicada e acompanhada por um psicólogo. Ontem mesmo Graça Caldeiras disse que não foi trabalhar para acompanhar o filho em mais uma consulta no psicólogo que conseguiu arranjar no centro de saúde, já que "a psicóloga da escola não tinha tempo para o atender".

 

notícia publicada pelo jornal Público edição on line

 

 

 
sinto-me: sem entender
tags:
postado energia-a-mais às 10:57

Quarta-feira, 03 de Março de 2010

vamos avançando, não necessariamente para a frente!

 

Do Quico

 

está uma criança muito esperta e despachada! nestes últimos seis meses adquiriu imenso vocabulário, expressa-se sem dificuldade, embora ainda com algumas palavras a saírem enroladas em «quiquês»!

Conhece bem as denominações de tempo (ontem, hoje e amanhã) e sabe aplicá-las correctamente, também distingue os dias de semana com os fins de semana.

Já sabe imensas cores e consegue reconhecer algumas letras - a,o, s,v...conta correctamente até 10 e já dá um jeito até aos 15.

Adora brincar ao faz de conta - os cenários favoritos são - polícias e ladrões, mães e filhos, donos e cães e todos os personagens dos seus bonecos favoritos (ben 10, winx, avó detective e tudo o que meta dinossauros e dragões) e pai natal!

Dá muitos miminhos e beijocas doces a todos, especialmente à noite!

Gosta de rezar ao anjo da guarda para que vigie o pai e pede sempre para cantar as músicas que mais gosta na hora de deitar

Adora a piscina e já se aventura «sozinho» se bem que não faça exactamente aquilo que lhe é pedido pela professora...

Usa muitas vezes «obrigado» e «por favor» connosco e com estranhos

 

 

Continua a sair «molhado» do infantário quase todos os dias! controlar o xixi em casa não apresenta dificuldades mas parece que no infantário se sente mais intimidado ou nervoso ou então tenta mostrar dessa forma o seu desagrado em lá estar...

Dar-lhe uma refeição, quer em casa, quer no infantário continua a ser desesperante - ou recusa, ou está aos saltos, ou não engole ou cospe fora...

Fica super irritado/frustrado quando não se consegue vestir sem ajuda, capaz de fazer uma birra tremenda e ficar roxo de tanto se enervar

Mostra uma apetência extra para os maiores disparates ou perigos, como querer saltar das janelas para ser igual ao super homem, correr pela estrada fora aos zig zagues entre os carros ou pendurar-se em todos os móveis, barras e muros que encontra

Aprende todos os palavrões usados pelo irmão e copia-os já com alguma mestria

Bate muito e com muita força

Não se intimida com estranhos

 

Do Rafa

 

Teve excelentes resultados escolares nas últimas fichas de avaliação - 100% a matemática (único da sala dele), um pouco menos a estudo do meio - 79% e a língua portuguesa 86%, sendo um dos melhores alunos

Mostra uma apetência acima da média para o inglês, tendo sido premiado com uma estrela que significa «excelente aluno»

Tem uma verdadeira aptidão para a informática, mexendo no computador com um à vontade notável, a professora pede-lhe para resolver certos problemas que surgem com os computadores dela e dos outros meninos

 

 

Ora toma, ora recusa tomar a medicação o que não é nada bom para a sua estabilidade. Desde o post em que referi que tinha tomado, apenas voltou a tomar duas vezes. Hoje mesmo liguei ao médico para me aconselhar se lhe poderia dar o risperdal à noite, em vez de manhã, uma vez que ele se queixa de ficar indisposto chegando ao vómito facilmente. Vamos tentar assim, durante uma semana...

Ainda está pouco autónomo nas suas tarefas de rotina, como vestir-se ou fazer a sua higiene básica - se não ando colada a ele a insistir, ele não termina nunca!

Diz palavrões com uma facilidade só explicada pela impulsividade que o domina - é aliás impulsivo em tudo, no falar (muito e muito alto, quase atropelando as palavras tal a pressa em dizer tudo ao mesmo tempo), no comer (como se não visse comida há uma semana, devora tudo com sofreguidão e com tanta pressa que vai com as mãos ao prato, quem o vir comer vê uma criança sem «maneiras» à mesa) no modo como mostra contentamento ou tristeza!

Reage sempre com muita violência a qualquer frustração e mesmo às pequenas contrariedades

Reage com violência em relação ao irmão, nunca mostrando aquela maturidade já esperada para a sua idade...

 

Continuamos a ser afectados em todos os aspectos da nossa vida pelo factor da hiperactividade do Rafa. Somos aprendizes diários e temos conseguido dar alguns passos importantes para a frente, embora tal como o caranguejo, nem sempre de modo linear

 

 

 

sinto-me: avançando...a custo!
postado energia-a-mais às 09:11

Segunda-feira, 01 de Março de 2010


podemos sentir certos constrangimentos ao darmos uma opinião que sabemos ir colidir com aquilo que pensam e com aquilo que são as suas expectativas

 

nem sempre é fácil abordar um tema que sabemos ser mais sensível e que pode até ferir a relação de amizade (se bem que acredite que numa verdadeira amizade, a aceitação e o respeito são a palavra chave)

 

Encontro-me numa situação destas e não sei bem como agir...se deixo o assunto e não sou totalmente sincera, se digo o que penso realmente e espero que a reacção seja honesta

 

tenho desde alguns anos uma amizade com uma que foi minha colega de trabalho e partilhamos desde então,muitos anseios normais de quem é mãe.

Essa amiga descobriu  a questão da hiperactividade nas conversas que temos tido, pois como ela própria é mãe de uma criança da mesma idade do meu Rafa, naturalmente abordamos essa questão.

Nos primeiros tempos de escola a filha da minha amiga não teve grandes sinais de alerta - a mãe trabalha fora, a menina sempre ficou no infantário, depois a pré e passou para o ensino básico sem referências de algum tipo de problemas a não ser o típico ajuste a uma nova realidade.

Ora foi aí que começaram os «avisos». Nessa altura morreu a avó da minha amiga, com quem a menina sempre passara muito tempo e era muito ligada, isso a par com a entrada numa escola nova, uma nova realidade e com a mãe a passar por um período menos bom (superar a morte da avó e ultrapassar um estado de desemprego do marido) acabaram por fazer com que o comportamento dela reflectisse um estado de muita ansiedade e talvez uma imagem desadequada aos olhos da professora.

Ora a professora achou melhor pedir um relatório de avaliação psicológica, dado que considerava a menina muito irrequieta dentro da sala de aula, uma vez que ela nem se sentava direita na cadeira e levantava-se muitas vezes para conversar...eu sei que posso estar a exagerar mas a mim parece-me que se pedem relatórios com muita ligeireza (talvez haja uma necessidade de «sacudir» a água do capote, como quem diz, desresponsabilizar logo no início...)

Baseados nesse relatório, foram aconselhados a levarem a criança a uma consulta, tendo sido logo na primeira e sem alguns dos testes que deveriam fazer parte da despistagem, prescritos medicamentos para a hiperactividade da menina!

Logo que iniciou a medicação, o comportamento da menina nunca mais foi o mesmo - já tenho refrido os sinais de que a medicação pode não estar a actuar correctamente, significando isso, por norma, que a criança está mal diagnosticada...

Pois acho muito sinceramente que foi isso que aconteceu - ela mostrou-se muito mais agitada depois de tomar os psicoestimulantes (ritalina e depois ritalina + rubifen) e começou a ter dificuldades em adormeçer - coisa que não acontecia antes, mostra-se muito mais irritada e passa por períodos diagnosticados como depressivos (tudo sintomas ou consequências de uma desasjutada reacção do organismo a uma substância que não necessita).

Penso que teria um resultado muito positivo se a criança estivesse a ser seguida em psicologia e muito provavelmente sem recorrer a fármacos para a hiperactividade!

 

Devo eu, já que a minha amiga me pede orientação (dado que a R. está cada vez mais difícil de se manter estável e tem andado sucessivamente em depressões) dar-lhe esta minha opinião de que ela deveria levar a filha a uma nova consulta para obter um novo diagnóstico? dizer-lhe que para os pais certamente é um alívio quando se confirma um veredicto, pois nasce a esperança de um correcto acompanhamento, mas que infelizmente nem sempre o que ouvimos primeiro está certo? e que ela deveria pedir mais testes e até exames como TAC ou electro?

 

Estou angustiada com esta situação pois tenho tantas experiências com crianças realmente hiperactivas (não só o Rafa) e não reconheço as características básicas na R.! Ela é uma criança que sabe comportar-se em público, vai a restaurantes, padarias, igrejas, escuteiros, etc e não tem qualquer reacção desajustada (mesmo sem medicação...) Consegue bons resultados na escola e apenas tem momentos complicados pela pressão a que a sujeitam precisamente na escola! Isto é, em casa e em público está normal, na escola mostra desagrado - isso não é hiperactividade!

 

No entanto a minha amiga não se mostra nada receptiva a ter de procurar uma segunda opinião médica! ela acha que é uma questão de dose da medicação ou dar-lhe mais medicamentos para a depressão....

 

O que fariam voçês?

 

 

 

sinto-me: confusa
tags: ,
postado energia-a-mais às 11:46

mais sobre mim
que querem saber?
 
Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
20

21
23
25
27

28
30
31


disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro