A Hiperactividade vista à lupa

Segunda-feira, 19 de Maio de 2014

 

 

 

imagem da net

 

 

O tempo voa! quando damos por ele, constatamos que o deixamos escapar de repente e muita coisa se passou sem que o tenhamos feito parar!

 

A nossa vida cá por casa, tem sido um carrocel por vezes desgovernado. A falta de tempo para o essencial (tempo para apreciar as pequenas coisas que fazem a diferença) tem sido o maior obstáculo. Bem sei que ser mãe de dois miúdos já é para muitas mulheres, sinónimo de pouco tempo para tudo o resto...ser mãe de dois, cada um com patologia de PHDA, com necessidades específicas e diferentes dos outros miúdos, não ter o pai a dividir as tarefas básicas, manter tudo o resto dentro do funcional, é tarefa mais do que exigente, sendo evidente que fico cada vez mais com o tempo contado! Já não me lembro de quando foi a última vez que tirei um pouco de tempo para simplesmente «não fazer nada»....as migalhas que aproveito são para espreitar o blog, tentar manter um registo que me dê, anos mais tarde uma perspectiva das coisas.

 

Coincidência, ou não, este é um período em que revivo com grande intensidade, através do meu filho mais novo, o ciclo mais difícil que vivi com o mais velho! nada me preparou, com o Rafa, para a imprevisibilidade de ter um verdadeiro «furacão» em casa. Desenganem-se os pais que acham que os seus filhos são «traquinas», «agitados» ou mesmo os que usam o termo «hiperativo» para os descrever. Na sua grande maioria, esses pais estão equivocados! De todos os casos que conheço, pouco, mesmo poucos, se podem comparar ao trajecto tempestuoso do meu filho mais velho! acreditem que se tivessem de viver os momentos que eu vivi, teriam muita dificuldade em descrever as crianças usando os adjectivos que atrás mencionei....aliás, ainda hoje, quando olho para certas cenas, tenho dificuldade em encontrar as palavras certas para o descrever! 

Felizmente demorei algum tempo a perceber, até por não ter comparação possível, que esses momentos alucinados, não eram o comum entre as crianças...nem todas eram assim! digo felizmente porque assim consegui separar as águas e quando o Quico nasceu a minha visão era já bem diferente!

 

Ao longo dos anos fui contornando as dificuldades, mantendo a minha atenção nos detalhes e não me deixando influenciar por pré-conceitos. Quase que por instinto separei os comportamentos do mais novo em «cópia do ambiente em que nasceu» e «aquilo que lhe pertençe pelos genes». Nem sempre a linha foi fácil de delimitar porque é impossível dissociar o que se vive do que faz parte de nós à nascença! mas acabei por entender que muito do que vivo com o meu mais novo, já antes o vivi (com diferença de faixa etária em que ocorre) com o mais velho.

 

O autêntico «el niño» que o Rafa era aos 4 anos, vibra agora em toda a força nos 7 anos do Quico! a turbulência é a mesma. O Quico não para um segundo, está sempre ligado à corrente, não deixa nada quieto no sítio, nunca percebe quando o dia acaba, não consegue comer sem estar a mexer-se (ou a saltar, ou a correr, ou a mexer noutra coisa qualquer), fala sem parar, nunca consegue ouvir nada até final, não olha para a TV mais de 5 minutos sem saltar ou dar pinotes, não consegue acertar o traço de um desenho, pintar sem borratar tudo, escrever é um conceito que continua a ser um desafio....imaginem o que é na escola! mesmo com a ajuda da medicação (que se faz notar na sala de aula, sobretudo durante a manhã e início da tarde) em casa tenho um autêntico ciclone!

 

A minha esperança é que este padrão se mantenha - ou seja, aguentando mais uns 3 anos de turbulência física com todas as suas consequências para o funcionamento de uma casa, terei depois uma fase de desgaste psicológico cerrado (que acontece entretanto com o Rafa) mas poderei dedicar-me a esse período sem andar de gatas pelo chão...não digo que o grau de exigência não seja ainda maior, simplesmente esta fase em que nada fica no sítio onde deixo por mais de dois segundos desde que o mais novo chega da escola, bule com os meus nervos! opá na verdade, bom mesmo era ter tempo para tudo!

 

 

postado energia-a-mais às 10:34

Segunda-feira, 05 de Maio de 2014

 

 

Não seria a mesma coisa sem elas!

 

Os meus filhos tentaram fazer deste dia da Mãe, um dia único! e claro, conseguiram {#emotions_dlg.sarcastic} 

 

cá em casa não há como evitar as loucuras de dois miúdos portadores de uma PHDA, nem eu esperaria qualquer outra coisa. As minhas expectativas perante um dia de festa, é sempre muito contida! sei que vamos viver esse dia com muita emoção, sendo no entanto uma emoção muitas vezes «escondida» por entre as aventuras físicas e psicológicas que sempre vivemos!

 

O dia anterior tinha terminado de forma «carregada» por uma atribulada briga entre os meus dois rapazes, com o Rafa bastante mal humorado, naquela inconstância característica das suas patologias, agora ainda mais evidentes por força da sua entrada na idade conturbada da adolescência. Foi portanto com agrado que recebi, ainda deitada, um beijo dele - um beijo à sua maneira, fugidio, quase de raspão, um tanto desajeitado mas que sabe a mel!

 

Já na sexta feira, logo depois de chegar da escola o Quico me tinha oferecido as suas «prendas», orgulhosamente feitas (com ajuda) por ele e com a euforia que lhe é típica. Por isso não me esqueci de as colocar em destaque na mesa, logo na manhã de domingo. O pequeno almoço deveria ser para desfrutar em conjunto mas eles, sempre saltitantes acabaram por andar às voltas e por entre fatias de pão que iam sendo atiradas ao ar, facas que já andavam por muitas mãos, fruta, iogurtes e muita confusão, achei melhor optar pelo mais prático e não permitir que fizessem coisas como panquecas com mel, papas de aveia ou sumos energéticos...ou teria a cozinha desfeita!

 

Ao almoço já tinham acalmado o suficiente mas a ideia de não quererem que fosse a mãe a cozinhar nesse dia implicou necessariamente comer fora de casa. Como não se entenderam quanto ao sítio ou mesmo ao tipo de comida, a alternativa que ambos aprovaram passou pelo fast-food daqueles que de vez em quando até sabe bem e que para eles sabe sempre a dia de festa! não quiseram ir lá almoçar, fui eu buscar...

 

A tarde, como já é habitual mete sempre muito mais confusão, quer seja porque ambos se aborrecem, quer seja porque a chegada dos avós traz sempre mais agitação, até mesmo porque começam a olhar para o dia que passa e sentem a ansiedade do dia de escola que se aproxima...tentamos fazer algumas brincadeiras mais calmas, como jogos, mímicas, coisas assim mas acabamos por entre saltos e correrias com hemorragia nasal do mais novo à mistura.

 

O lanche teve de ser em ritmo de corrida, sem tempo para saborear por muito tempo as «iguarias», desta vez sem bolo caseiro (porque acabei por me esquecer que o forno falhou e nem tive tempo de o mandar arranjar) mas com uma mesa que tinha em atenção os gostos de cada um. Nessa altura já o Rafa dava mostras de mudança de humor e o Quico estava mais interessado em chamar a atenção de uma vizinha que via pela janela...

 

Distribuídos mais uns miminhos pela bisa e pela avó, as outras Mães da casa, foi tempo de os preparar para a fase mais difícil, a hora de arrumar mochilas, roupas para o dia seguinte e iniciar a rotina de fim de dia!

 

Estava passado mais um Dia da Mãe que afinal é todos os dias, sem excepção

 

 

 

postado energia-a-mais às 12:08

Domingo, 04 de Maio de 2014

 

 

beijo de grande admiração, carinho e muita gratidão! 

 

 

 

 

imagem tirada da net

 

 

 

passarei por cá mais tarde para dar conta das aventuras deste Dia da Mãe!

 

 

 

postado energia-a-mais às 13:08

mais sobre mim
que querem saber?
 
Maio 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro