A Hiperactividade vista à lupa

Segunda-feira, 17 de Março de 2014

 

 

ao reler o blogue dei comigo a pensar que até pode parecer que os meus miúdos entraram numa outra fase, menos atribulada, de certo modo mais calma...«mea culpa» por falta de tempo e confesso, de menos ânimo, tenho deixado de escrever muitas das peripécias cá de casa

 

Até admito que no caso do Rafa, as explosões de raiva, impulsividade, difíceis de controlar, de tão habituais se tornaram para mim tão vulgares que até lhes tirei importância! não no peso das coisas, claro! só acabei por sentir que estaria a descrever sempre as mesmas cenas e que isso seria algo monótono para a estrutura do blogue. Mas agora que penso melhor, este é uma espécie de registo e deveria servir também para relatar esse nosso dia a dia.  

 

Quanto ao Quico, as peripécias são tantas e sucedem-se a tal ritmo que o meu rapaz é talvez o maior responsável pela tal falta de tempo. O que me sobra é para organizar as prioridades de casa, especialmente porque o final de dia não me deixa respirar! Ele é os TPC, ele é as brincadeiras sempre em correria, os banhos alucinantes, as conversas sem fim, as exigências da minha presença, enfim! 

 

Este fim de semana por exemplo, foram vários os episódios, daqueles que alteram por completo a vida de qualquer lar! O almoço de sábado foi um completo desastre pois o Rafa teve uma daquelas crises que surgem do nada, assim sem aviso, crises que sobem tão rapidamente e que se tornam imparáveis! O meu rapaz mais velho é absolutamente incapaz de se auto controlar! sozinho ainda não consegue ter aquele travão, tornando-se por isso demasiado difícil lidar com as situações. Até pode ter esse repentismo por um período relativamente curto no tempo mas aquele momento em que está fora dele, é suficiente para nos pôr a todos a mil! e se tiver «audiência» mesmo que seja o avô, então parece que o descontrolo é ainda maior. Acho que tem a ver com o facto de todos começarem a dar palpites, todos terem reacções diferentes....ele fica simplesmente incontrolável. E responde mal, manda cadeiras pelo ar, berra com todos, diz os maiores disparates sem nexo...quanto mais o forçamos a parar pela via normal, mais ele se descontrola! dado que já «apanhei» o jeito e sei que o melhor é manter a calma até o conseguir acalmar, cortando o foco das atenções, ignorando deliberadamente o motivo pelo qual aquilo começou, consigo por norma dar a volta às coisas. E foi o que aconteceu, no entanto o Quico acaba por ficar também muito alterado e não é fácil ver o alvoroço que se segue a cada crise!

 

Tanto os nervos mexeram com o mais novo que às tantas, aos saltos pela casa, pelo sofá, pelos móveis, acabou por embater no computador e lá se vai um daqueles monitores grandes touchsystem da HP ao chão...Revi mentalmente a cena da TV nova que partiram no calor duma birra...desta vez felizmente as consequências materiais não foram tão más e o pc lá se safou com algumas mossas mas sem danos que impeçam o seu funcionamento. Claro que o mais importante são as consequências a nível de atitudes dos meus miúdos. Isso, a par da tensão que se instala sempre que isto acontece...acabei por ter de passar muito tempo depois a assegurar que o Quico entendeu o que aconteceu mas sem o culpabilizar. 

 

Estas alterações são o pão nosso de cada dia! Assim como as brincadeiras antes das 8h00 para aproveitarem melhor o fim de semana, as diversas habilidades do Quico que insiste em praticar todos os desportos conhecidos, dentro de portas! E as milhentas perguntas sobre os mais variados temas que levantam as mais sérias questões aos sete anos do Quico! coisas como «mãe, onde é que o Passos Coelho guarda o dinheiro que rouba às pessoas?» tal e qual...ou «mãe achas que devo ser militar? os militares são mais importantes que os futebolistas, pois é?». Para além das mais sérias dúvidas existenciais pois ainda não entende muito bem a hierarquia dos nascimentos, pelo que continua a querer pormenores sobre quem nasceu primeiro, mesmo, mesmo primeiro, antes mesmo do mundo, ou seja quem nasceu antes e conseguiu construir o mundo? (claro que, diz ele, foram os trabalhadores, melhor dizendo, os construtores, mas ele gostaria de entender quem foi o primeiro construtor).

 

Ora digam com tanta e tão mirabolante actividade à minha volta, que tempo me sobra para outras coisas? como blogar, por exemplo? 

 

 

 

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 14:21

Segunda-feira, 04 de Novembro de 2013

 

 

é assim qualquer coisa como isto

 

 

Depois de um final de domingo com mais uma crise de nervos, a agressividade do Rafa a dar sinal, seria de esperar uma manhã caotica, até porque às segundas feiras a coisa custa...

 

mas quando a imprevisibilidade é a palavra mais comum, a casa pode ter momentos de loucura seguidos de pacíficas cenas de ternura...o Quico está mais assertivo (terá algo a ver com o apoio na escola?) e por isso também me faz surpresas que incluem beijos do «tamanho do mundo mas infinitos» e não fazer drama por ter de sair de casa mais cedo que o irmão - primeira vez que acontece em tempo de escola, por norma o Rafa tem de ser «entregue» antes dele, acho que para ter a certeza que o irmão fica realmente na escola!

 

 

ora isto dá-me fé num futuro mais equilibrado!





postado energia-a-mais às 14:07

Segunda-feira, 03 de Junho de 2013

 

 

sim, esta semana têm mesmo aulas e com testes e tudo  {#emotions_dlg.sarcastic}

 

 

precisam de mudar de roupa todos os dias, mesmo que queiram muito usar a tshirt preferida

 

o verão ainda não chegou e o tempo está realmente incerto, nem sempre podem ir sem casaco....

 

 

 

miúdos complicados, irra {#emotions_dlg.angry}

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:08

Quinta-feira, 07 de Março de 2013

 

entre recados da escola para assinar (dos dois) e conseguir fazê-los estudar para os testes que ambos vão ter, tive de suportar:

 

 

uma interessante descoberta do Quico que o fez experimentar dezenas de «pinos» em diferentes modos de execução; um estúpido concurso de cheirar o chulé um do outro, proposto pelo Rafa que queria provar «cientificamente» que um pé mais pequeno condensa melhor o mau cheiro, daí o Quico sair vencedor do pé mais mal cheiroso; uma cena de ciumeira aguda da bisa que queria chamar-me a atenção a todo o custo mesmo no meio do berreiro infernal dos meus reguilas enérgicos; uma descomunal birra do Quico que quase me fez saltar a tampa (e que lhe desapareceu tão de repente como começou mas que durou mais de 40 minutos de desvario)

 

 

(isto de os dois terem testes e fichas de avaliação ao mesmo tempo tem que se lhe diga...uma maratona sem fim à vista)
postado energia-a-mais às 09:11

Segunda-feira, 05 de Novembro de 2012

 

 

aos meus rapazes só falta voarem, de resto acho que conseguem fazer de tudo....

 

 

 

dariam dois belos espiões

 

 

 

 Por entre aventuras de piratas, ninjas e espiões, nem a bisa se safou - foi presa duas vezes, numa deles com recurso a «arma de intimidação», acabando por ser salva por um ninja louco que falava uma linguagem secreta e que virou toda a casa do avesso. Outra «vítima» foi o avô, que ainda por cima levou com dose dupla, ficando a comandar o barco enquanto me ausentei para fazer umas compritas imprescindíveis.

 Durante as brincadeiras de fim de semana, muito a custo lhes consegui incutir algum sentido de responsabilidade para os fazer estudar alguma coisa. O Quico tem o seu primeiro «teste» (a avaliação intermédia para ver o grau de aprendizagem) embora ele nem saiba exactamente o que isso é...o Rafa vai fazer o teste de inglês, para o qual entende que nem precisa rever a matéria, dado que não aprendeu ainda nada de novo (?!)

 

mau, mau, neste louco fim de semana, a birra do Quico que me tirou a paciência e a incrível teimosia do Rafa que me obriga a fazer um enorme esforço diário para manter um ritmo funcional. E mais umas «coisitas» que mexem com as minhas entranhas mas que ainda não consigo pôr para fora....mas que me deixam a remoer, deixam!

 

 

postado energia-a-mais às 09:01

Segunda-feira, 28 de Maio de 2012

 

 

e já agora «erase and rewind» para ver se apago este fim de semana e o substituo assim por um, digamos...mais normal!

 

eu até tinha planos normais - qualquer coisa como «neste fds vou cumprir com a minha acção de solidariedade e doar alguma coisa para o banco alimentar...» e juro que não entendo porque é que isto correu tão mal....

 

 

os miúdos tiveram no sábado uma agenda social do mais preenchido - estas solicitações obrigaram-me a um verdadeiro corropio. O Quico teve uma festinha de um colega, mais um aniversário no tal sítio da diversão. Só que foi durante a manhã. Como ele dormiu (desde o acidente da minha mãe foi a primeira vez) em casa dos meus pais, eu tive de ir mais cedo para o arranjar e levar então à festa que tinha início às 10H. Eram dez e vinte quando cheguei a casa e só tive tempo para apressar o Rafa que entretanto claro, continuava de pijama e sem pequeno almoço apesar das minhas recomendações, visto ter às 11H o curso no centro de competências. Lá fui levá-lo, vim a casa, coloquei o almoço a fazer e depois de fazer as camas e estender roupa, ala buscar o Quico ao meio dia. Voltei a casa, dei o almoço ao miúdo, aprontei tudo o resto e fui buscar o mais velho que saía à uma. Entretanto depois das normais tarefas domésticas, voltei a ter de levar o mais velho, desta vez a casa de um amigo para fazerem um trabalho em grupo para a escola.

Aproveitei para trocar posições com o meu pai e enquanto ele tomava conta do Quico, fui a casa da minha mãe para ajudar nalgumas coisas básicas.

Com isto eram horas de aprontar a janta, ir recolher o Rafa e dar as voltas rotineiras até os conseguir meter na cama...até aqui (tirando o entra e sai) tudo rolando!

 

No domingo coisa bem mais difícil - gerir os dois no mesmo espaço por mais tempo seguido. Até à hora do almoço, separei-os o mais que pude....mas eles embirravam um com o outro a cada segundo...Quando o Rafa atinge o ponto de ebulição a tampa salta logo. Ele tem andado muito mais agitado (a prova está também nos 5 recados na caderneta da escola que trouxe nos ultimos dias). Qualquer coisa e a sua impulsividade surge num apice (como aliás é a impulsividade). Estava eu a tirar o almoço, os dois embirravam por causa do comando da TV da sala, o mais novo queria escondê-lo para negar o acesso do irmão a um canal «dos chatos» (Discovery) e o Rafa gritava, esbracejava e tentava a todo o custo levar a dele a avante. Ora, como mais velho por norma consegue sempre o que quer, pela força bruta. Tentei separá-los mas parece ter a força de Golias nestas alturas! Tirou o comando da mão do Quico e fez um movimento com o joelho que lhe acertou na barriga. O Quico sentiu-se duplamente frustrado e quando vi o que ia acontecer corri mas não fui a tempo - vi a faca a voar pelo ar (a mesa estava posta, as facas eram as do talher) e senti o embate como em mim...no ecrã da TV. E pronto - lá se foi o nosso belo LCD...

 

 

 

imagem retirada da net

 

 

Obviamente não é pelo televisor em si (embora isto agora vá ser outro berbicacho) mas toda a cena, principalmente o final e as consequências arruinaram por completo todos os meus planos. Depois de ter feito um esforço sobre humano para não desatar a espancar os putos, depois de ter de me acalmar a mim e a eles (entretanto o Rafa histérico tinha dificuldade em acreditar que já não tinha TV e mexia-lhe por todo o lado, enquanto o Quico desatou num pranto profundo) lá tive uma conversa com os dois onde impus os castigos comuns (não vão ter direito a prenda do dia da criança) e avisei que não iria tolerar qualquer comportamento que desrespeitasse as regras de - falar baixo, não discutirem, correrem pela casa, desarrumarem sem voltarem a arrumar. Muito previsivelmente, passei o resto do dia a relembrá-los (em especial ao Rafa) dos castigos e regras...

 

A minha cabeça continua em água, até porque dominar a frustração que entretanto se apoderou do mais velho, acabou por ser mais desgastante do que o incidente propriamente dito. Nada me saberia melhor do que apagar isto tudo e voltar a sexta à noite...caramba!

 

 ...

 

postado energia-a-mais às 09:04

Sexta-feira, 03 de Fevereiro de 2012

 

 

pela manhã, antes da saída deles para a escola

 

 

uma birra descomunal do Rafa tirou-me do sério e acrescentou-me mais umas quantas rugas e cabelos brancos. Cismou que tinha de levar para a escola o dinheiro do mealheiro - e nada o demovia da disparatada ideia!!! se alguma coisa fazia prever isto?? se houve alguma coisa que o despoletou? não que eu desse por isso - o que é certo é que demorei mais de uma hora com uma birra que se tornou cada vez mais descontrolada e que ameaçava já tornar-se incompatível com a rotina diária, pois por ele não havia intenção de ir à escola sem levar o tal dinheiro....(inconcebível que levasse para a escola uma quantia significativa quando a «ordem» é andar com poucas moedas pois o cartão escolar serve para tudo o que precisa lá dentro)

 

opá, vocês sabem o que é ter um matulão aos berros pela manhã, determinado a não ouvir nenhum argumento razoável? e sendo esse matulão vosso filho e tendo 11 anos? bom, quem tem filhos com PHDA por certo sabe....uma luta titânca, uma visão de bradar aos céus - e acreditem, eu bradei!!!!

 

muitos empurrões depois, muita gritaria, muita confusão com o mais pequeno a gritar que também não ia à escola, com o avô a arrastar um e eu a enxotar o outro e lá os conseguimos deixar nas escolas....

 

Sou forçada a apanhar com cada cena matinal!!!!

 


postado energia-a-mais às 10:32

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2012

 

 

ou como quando lhe dá a neura ninguém os segura....

 

O Quico aprende como uma esponja, absorvendo os exemplos intempestivos do mano mais velho....nada bom, tendo em conta que com PHDA de tipo impulsivo o Rafa pouco se controla e os exemplos não são os melhores. Habituado a ver o irmão explodir à miníma frustração, agora o mais novo também nunca sabe como reagir quando a coisa não corre como ele tinha idealizado - ok, qualquer criança passa por isso - lidar com algo que não corre bem é um processo de aprendizagem e as crianças vão desde cedo aprendendo que nem sempre podem ficar felizes. A grande diferença é que os meus pequenos recusam aceitar isso....

 

Quando o Rafa se vê contrariado (nem que seja porque não consegue afiar um lápis como queria) explode em fúria. Demoramos muito tempo para que ele atenuasse essa explosão e conseguisse «segurar» o ímpeto de mandar tudo pelos ares - isso vai acontecendo muito de vez em quando, agora que já vai fazer 11 anos, começa a ter alguma noção de que as suas reações não conseguem alterar o rumo final das coisas. De nada vale explodir! Mas só muito raramente consegue parar a tempo...

Ora o Quico sempre viu essas explosões como a forma «natural» de expressar o seu desagrado por algo que não corre bem - e toca de fazer o mesmo! se ter um assim cá em casa já me põe os cabelos em pé, ter os dois a fazer a mesma coisa, pôe-me doida!!

 

E quando o objeto da fúria passa por estragarem algo que nem lhes pertence, então só me apetece mandá-los diretamente para um sítio bem reles...ora se chegam da escola com a disposição de me fazerem a vida negra porque simplesmente o avô não parou num determinado sítio para verem determinada coisa e a primeira coisa que o mais pequeno faz quando chega é agarrar no primeiro objeto chamativo que encontra pela frente e mo estraga....

 

e se esse objeto for o novo catalogo da La Redoute que ainda nem tivera tempo de ver....

 

pois que se prepare porque não vou deixar cair no equecimento - nem que seja duas horas de «braço de ferro» depois!!!

 

Que raio de feitio que têm os meus rapazes!! é sempre tudo hiper complicado...irra!

 

postado energia-a-mais às 10:46

Terça-feira, 10 de Janeiro de 2012

ou como o meu mundo não para nem se compadece com tristezas ou incertezas

 

 

A vida continua ao ritmo natural da hiperatividade que contagia toda a  família. O Rafa tem andado na definição de muita gente «impossível»...porquê? porque não escuta ninguem, não para um segundo, não pensa antes de agir e por isso, qualquer situação rapidamente se transforma num caso sério de agitação.

 

Exemplos - tomar um banho. Ultimamente por ter condições que o permitem, tenho tentado dar banho aos meus rapazes, ao mesmo tempo. O Quico adora a ideia de partilhar a banheira com o mano mais velho e eu consigo controlar os dois no mesmo sítio no mesmo momento, o que é bem melhor do que ter apenas um debaixo de olho (enquanto o outro faz asneirada...). Só que para o Rafa um simples banho acaba em tormenta tal a impulsividade - ou porque sente a água muito quente, ou porque acha a casa de banho fria, ou porque o irmão mais novo ocupa (na opinião dele) mais espaço do que devia....ontem estive a pontos de os atirar pela sanita aos dois tal a algazarra que fizeram - o Rafa achou que o irmão o molhara (qual o problema se estava na água???!!!) e por isso quis retribuir fazendo sair toda a água da banheira alagando o chão literalmente. E quando eu me esforçava por manter as coisas minimamente sob controlo, os dois engalfinharam-se, o banho ficou por tomar, eu tive de os separar à força bruta, coisa que é quase impossivel pois dominar o Rafa em momentos de descontrolo só mesmo o famoso Hercules....

Brincadeira no sofá - começou por ser inocente e até ternurenta com os dois fazendo cócegas um ao outro, só que de repente o Rafa lembrou-se de brincar aos monstros e o Quico alinhou saltando-lhe por cima. O Rafa não gostou, lançou o irmão pelo ar e este acabou a bater com a orelha  e cabeça na mesa de apoio junto ao sofá - ficou com um papo enorme, todo preto e claro com baba e ranho por todo o lado.

Hora de deitar - enquanto estou a tentar fazer o Quico deitar, o Rafa faz barulhos com a boca e teima em dar saltos na cama de cada vez que se muda de posição, pede água só por pedir e dá estalinhos com os dedos - o Quico farto de o ouvir começa a uivar como os cães....e jura que vai buscar uma faca, algo que ele sabe que deixa o irmão em pânico. O Rafa salta de imediato da cama e com o impulso faz-me cair...O Quico entra em histeria, o Rafa tapa os ouvidos com as mãos e grita ainda mais alto...a coisa descontrola-se por completo até eu conseguir recuperar da situação...

 

As idas para a escola consomem como sempre uma grande quantidade de energia (minha). Fazer com que saiam de casa implica uma preparação de mais ou menos duas horas, portanto tenho de iniciar o ritual por volta das 06h30...Como acordam cedo, se os deixo «à solta» nunca mais os faço entrar na ordem. Então o alinhamento das coisas é pensado em função da duração de cada tarefa, sabendo de antemão que cada uma implica uma determinda batalha - vestir o Rafa - digo-lhe onde está a roupa e o que deve vestir primeiro, relembro que deve tirar o pijama, entretanto antes de iniciar ele vai à casa de banho e demora muito tempo até começar a sua higiene...que por norma nunca completa, depois de o chamar de novo à atenção ele vai voltar para a cama, saltar umas quantas vezes, fazer birra porque não quer ir à escola, eu uso o meu estilo militar e termino com o usual «não há discussão possível». Ele vai voltar à casa de banho, dar umas corridas pela casa, ligar o pc e a consola (que depois vou ter de o lembrar para desligar), vai fazer birra porque não quer almoçar na escola, vou ter de fazer novamente finca pé, ele vai vestir lentamente a roupa, quase sempre sem trocar alguma peça do pijama...Entretanto o Quico já iniciou o seu próprio ritual. Vai para a minha cama pois quer ver os desenhos animados na TV.  Depois faz birra para não tomar o pequeno almoço, vai para a sala e quer vestir-se lá. Depois faz birra para não se deixar vestir (ou não vestir o que escolhi...). Tira a roupa e vai para a casa de banho onde se demora a lavar os dentes e diverte-se a fazer desenhos com a pasta no espelho - e faz nova birra por causa da roupa. A seguir começa a terrivel birra para não ir à escola....que se prolonga até à escola....

No último segundo antes de bater a porta, quando já estamos no átrio para chamar o elevador, com o Quico a espernear no meu colo porque quer ficar em casa, o Rafa vai entrar novamente porque lhe dá uma daquelas «vontades» que tem mesmo de ser...e corre para a casa de banho. Antes de passar o testemunho ao avô para que os leve de carro até às escolas, ainda tenho de subir para ir buscar algum brinquedo que se tornou imprescindível ou algum cartão que se esqueceu....

 

e a Vida continua!

tags: , , ,
postado energia-a-mais às 09:07

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

 

 

são sempre difíceis de aceitar

 

O Rafa anda numa de recusas. Recusa tomar a medicação, logo recusa ir à escola, recusa vestir-se, recusa qualquer ordem nossa. Recuso-me  a aceitar os jogos dele mas o desafio é tão grande que me deixa à beira da exaustão.

 

Na segunda feira recusou-se terminantemente a sair de casa e nada o demoveu - nem ameças, nem castigos, nem a minha arma secreta: uma espécie de psicologia invertida (embora tenha sido a que mais efeito teve, só se notou já mais tarde, pelo que o dia de escola ficou mesmo perdido). Como tinha encontro com a diretora de turma para a entrega do relatório médico, aproveitei para falar deste típico desafio de o fazer ir à escola. Tendo em conta os comentários dos professores sobre a avaliação do Rafa, a diretora concordou que ele tem carateristicas que obrigam a estratégias diferentes - a avaliação em termos de notas dos testes é bastante boa (o Rafa teve entre o elevado- e o Elevado) o que prova a sua inteligência, no entanto no comportamento vai desde «distraido», «perdido», «não faz algumas tarefas em sala de aula», «pouco trabalhador em casa» e ainda «agitado, perturbador da aula» - este caso referido pelos professores de EF que por norma são as últimas aulas do dia...e está tudo dito! certo? Conclusão da diretora - poderia ser um aluno de excelencia caso conseguisse ter método e organização no estudo (ora, o relatório médico também diz que a perturbação é crónica e que o vai acompanhar durante todo o percurso académico). Houve maior abertura, pareceu-me, pelo que acredito que possa haver maior empenho em seguir as dicas propostas pelo médico.

 

Entretanto, as recusas do Rafa, exercem pressão sobre o mais novo e por isso o Quico segue as pisadas do mano no que toca a birras e desvarios. Desde o início desta semana que as nossas manhãs são alucinantes e o avô tem sido um dos mais atingidos. Entre ter de arrastar o Quico para dentro da sala da pré a ter de o «largar» em pranto, ou mesmo correr atrás dele para o impedir de fugir pelo portão, o meu pai tem tido uma fantástica capacidade de «encaixe»!

 

se estas recusas fossem pontuais, diria que seria uma fase...mas estas recusas são constantes, umas vezes mais acentuadas do que outras mas sempre presentes! terei de voltar a passar por mais um diagnóstco daqui a um ou dois anos?! essa é pelo menos a opinião do médico

 

Há ainda a recusa dos dois em dormirem, cada um com as suas táticas, cada um com as sua diferentes necessidades para fintarem a insónia (o Quico é mais a dificuldade em adormecer - depois acaba por dormir seguido. O Rafa continua a acordar duas ou tres vezes por noite, sempre exigindo a minha presença para voltar a dormir, angustiado quando isso não acontece com rapidez)

 

acho que me vale (se posso assim dizer)

 

...a minha recusa em aceitar a derrota, mesmo que por vezes ela bata com força à nossa porta e nos deixe atordoados...

 

postado energia-a-mais às 09:09

mais sobre mim
que querem saber?
 
Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
27

28
29


disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro