A Hiperactividade vista à lupa

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

 

 

é tudo menos rotineiro cá em casa!

 

não é nada fácil levar os meus rapazes ao médico, muito menos quando se trata de consultas de rotina, desta vez tinha mesmo de marcar pois o médico de família mudou. Como os miúdos fazem medicação, o próprio médico quis fazer uma consulta de controlo.

 

O Quico é aquele furacão e claro, nunca consegue parar a tempo de evitar grandes confusões! O Rafa tem uma atitude entre o ficar sem jeito e o tentar «picar» o irmão...está sempre em cima de tudo e de todos mas desvia-se a todo o custo de quem o interpela diretamente. Embora tenham deixado as enfermeiras tratarem dos procedimentos habituais destas consultas, a sala onde decorreu a avaliação do estado geral, parecia uma sala de circo! só visto!

 

Com o médico a mesma coisa. Nada ficou direito naquele consultório e apesar de não os conhecer o médico percebeu logo várias caraterísticas da PHDA, como o agitar das pernas mesmo durante o exame, o torcer das mãos, o constante saltitar, não responderem até ao fim às perguntas que ele lhes fazia, etc. Para o médico são sinais que distinguem estes miúdos. Fez sempre uma abordagem muito profissional mas com grande à vontade, mostrando que o normal destes miúdos é este comportamento assim, fazendo com que eu própria não me sentisse «avaliada» ou constrangida! e também estava muito por dentro das várias implicações da PHDA com as situações do dia a dia.

 

Fez algumas considerações importantes sobre a necessidade de vigiar peso e cuidados com a alimentação (falarei disso noutro post pois sei que existem outras crianças que fazem este tipo de medicação e parece-me pertinente transmitir certos detalhes). Também passou análise ao sangue para pesquisar possíveis alergias do Quico, face a queixas que ele tem apresentado.

 

Agora é preparar para as consultas de especialidade lá para setembro!

 

 

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 08:54

Quarta-feira, 08 de Janeiro de 2014

 

 

ai e tal, as festas acabaram, agora volta-se à rotina....

 

bem, sim! mas só algumas. De resto, espero que este ano seja bem diferente e que não haja muito de rotineiro, sobretudo no que diz respeito ao meu estado de«dona de casa» sem trabalho a não ser o doméstico!

 

Os miúdos continuam a ser a minha prioridade mas este ano espero renovar a esperança de encontrar um trabalho em que me valorize e me sinta bem! ser mãe de duas crianças com PHDA é desgastante, faço o triplo de tarefas com cada um deles, passo muito mais horas de stress para manter o ritmo certo cá em casa, no entanto, sinto falta de ter o meu tempo ocupado por algo mais produtivo fora de casa. Apesar de saber que dessa forma, certamente teria menos tempo para acompanhar certos detalhes...e de o cansaço físico aumentar (ainda mais)! de certo modo, o meu cérebro também tem uma rotina diferente e na ocupação pode estar a libertação!

 

Se há rotinas bem vindas? sem dúvida - os miúdos estarem a acertar o relógio biológico «after party»! pelo menos agora consigo voltar a metê-los na cama pelas 22h00 a ver se se deixam dormir lá para as 22h30...o Quico ainda só consegue adormecer por volta das 23h ou até mais tarde mas penso que mais uma semana e o sono volta a estar mais regular! o mais importante agora será acertar também a medicação de cada um (que já não faz o efeito desejado) para que o segundo período escolar não descarrile...é pela experiência que tenho, um período sempre de maior sobressalto porque a ansiedade aumenta e porque a exigência é maior!

 

e assim vamos andando...novo ano, esperando viragem a sério! e dar um chuto nas rotinas!

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:55

Domingo, 05 de Janeiro de 2014

 

 

 


 

 


 

 

 

Nem sempre fácil de gerir, o tempo de festas deixa no entanto aquela saudade! os miúdos vibram com a euforia típica mas a PHDA está presente nas mais pequenas coisas, desde o simples comer ao desembrulhar das prendas...a vinda do pai foi mais do que apreciada, só que os momentos eram vividos sob uma ansiedade constante por parte das minhas crianças. Para além disso, as crises do mais velho acentuaram-se nos últimos tempos e fez-nos a cabeça em água! rotinas de quem convive com esta perturbação em cada hora do dia...fica agora o desejo de que venha a próxima temporada, mesmo que a a tenhamos de viver a uma velocidade super sónica, sem tempo para grandes apreciações!

 

 

postado energia-a-mais às 09:37

Domingo, 09 de Outubro de 2011

 

 

as rotinas durante e após cada vinda do pai a casa é do pior que há....

 

ponto 1 - o dia em que o pai chega faz toda a diferença na continuidade de uma rotina diária que, quando não é levada com pulso de ferro, facilmente descarrila! que isto dizer que o pai chegando num dia de semana, como numa sexta feira por exemplo, é quase certo que os miúdos se vão desorganizar...e isso foi o que aconteceu na passada sexta - quando acordaram viram o pai em casa e num dia de escola isso é (quase) sempre fatal!

Quando eu não estava a trabalhar, conseguia, com esforço e persistência é certo, levá-los nem que fosse após uma luta de horas. Mas o pai nem sempre consegue ter esse pulso firme e como tive de sair para o trabalho antes das nove, a confusão instalou-se. O Rafa iniciou de imediato os seus «ataques» incontroláveis de histerismo, misturados com os inevitáveis sinais de ansiedade - transpirava tanto que a camisola do pijama ficou literalmente encharcada, os vómitos era audíveis a quilómetros, a tensão por ver os ponteiros dos minutos a ecoarem pelo quarto era demasiada. Quando demos por ele, estava tão transtornado que nem o percebíamos a falar - tudo porque o Rafa não queria ir à escola, claro, dado que o pai estava em casa!

 

O mais pequeno mantinha-se prudentemente afastado, receando a explosão iminente do mano - mas igualmente determinado a ficar em casa, fosse qual fosse o desfecho! deixei-os com aquela sensação estranha de que o pai já tinha perdido a batalha - e depois das nove, tive a confirmação com uma lacónica SMS do pai «ficaram em casa»...

 

ponto 2 - programar uma saída a quatro pode ser um verdadeiro tormento - primeiro querem, depois já não, depois querem mas não se decidem onde, depois cismam com um lugar qualquer, normalmente não possível, depois já não querem outra vez...enfim! como já não íamos ao cinema juntos, fazia muito tempo, resolvi que esse podia ser um bom destino. No entanto as opções aqui na zona não eram famosas e a deslocação de carro, por curta que seja logo traz as habituais cenas de «terror». O pai continua a não conseguir fazer uma viagem sem constantes paragens, discussões, arranca, parar outra vez....uma eternidade para se chegar ao final - quem consegue sobreviver a isto está preparado para enfrentar qualquer coisa!

 

ponto 3 - ter mão nos dois pestinhas em lugares públicos continua a ser um desafio digno das melhores medalhas de mérito! um segundo de distração e já os dois aprontaram alguma coisa...o Rafa consegue ser tão rápido que nem o mais rápido dos nossos pensamentos chega a tempo de o impedir de fazer o que ele decidiu fazer...o Quico tem uma capacidade de inovação nas asneiras que nem o mais capacitado dos argumentistas lhe acompanha o ritmo...posso dizer que a agitação do Arrabida Shopping teve um ponto alto no sábado à tarde!

 

ponto 4 - depois de tudo por que passamos para ir, temos de voltar a passar tudo para voltar! e não, não regressam mais cansados...a energia continua a mesma!

 

ponto 5 - tentar suportar a despedida do pai, exige muito e desgasta muito! e organizar a vida depois destes «tsunami» não é mesmo nada fácil!

 

p.s: voltaram hoje à escola, eu estou de férias esta semana, aproveitando para organizar também o início das atividades do nucleo da APCH, a semana vai ser certamente dura...

 

tags: , ,
postado energia-a-mais às 23:32

Terça-feira, 24 de Maio de 2011

 

é superar o primeiro impacto da saída do Pai...

 

o regresso à rotina ajuda a normalidade mas demora o seu tempo. Ontem o Pai já foi embora, uma curta passagem de 24H não chega para matar as saudades e acaba por ser difícil de digerir.

 

O mais problemático é o Rafa que sofre imenso sempre que o pai vai embora. Tal como em mais pequenino, o Rafa continua a não lidar bem com a separação e pergunta uma centena de vezes «porque é que o pai tem de ir?»

 

ai que fico de {#emotions_dlg.unheart} quando o vejo chorar assim....

 

O Quico é que mais uma vez me surpreendeu! quando deu conta do mano a chorar (estva eu na casa de banho) resolveu fazer umas graçolas para o animar! gostei de ver o mais pequenino a tentar ajudar o mais velho!

 

tivemos mesmo de rir com a sua imitação de «rebolation» {#emotions_dlg.lol} e com uma espécie de dança do ventre!

 

 

Para esta semana ainda temos:

 

  • saídas (duas) com a escola do Quico - a um teatro de marionetas e uma ida à fábrica do arroz
  • uma aula dada pelo Rafa e pelo colega D. - vão falar de ciências (com direito a experiência e tudo)  e corpo humano...tão a ver de quem foi a ideia?

 

 

 

tags: , ,
postado energia-a-mais às 09:54

Quarta-feira, 01 de Julho de 2009

de outra forma não teria aguentado isto

 

chego a casa depois de uma reunião de trabalho que durou até às 20h00...

 

levo com um jantar «saltitante», onde para conseguir dar uma garfada ao Quico tenho de saltar atrás dele!

 

vamos jogar a bola no relvado em frente à casa, durante mais de uma hora

 

pelas 21h30 tento dar banhos que acabam em natação na banheira e chão da casa de banho

 

fico ao telefone a preparar mais uma formação sobre «comportamentos disfuncionais em crianças» cerca de trinta minutos, com a psicóloga responsável, lol - só por ironia....

 

consigo colocar os dois na cama deles depois de terem desfeito a minha mas levo com uma hora de cantorias em que se cantou desde «o mar enrola na areia; coração de chocolate; é tão bom ser bébé» e muitos outros êxitos infantis...

 

fico com o papá ao telefone a combinar as estratégias para as férias e quando me deito passa da uma...

 

acordo às três com um pedido de «quero a minha xuxa!» e levo mais de duas horas a voltar a adormeçer

 

levanto-me às sete e trinta com um «vamos para o campo de férias

 

 

sinto-me: pronta pra outra!
tags: , ,
postado energia-a-mais às 11:40

Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

de um dia desgastante .... mais um!

 

segunda-feira 25 de maio

  • seis da manhã - hora de despertar cá em casa. Primeiro o Quico chama porque quer leite, insiste em tomar já na minha cama e quer ligar a TV para assistir aos programas do Panda
  • seis e quarenta e cinco - o irmão junta-se a nós e para se acomodar na cama, tanto chateia com os pés, que logo se engalfinham os dois...quando vou ao wc é a deixa que precisam para sairem do quarto
  • sete horas - vão para a varanda dos brinquedos, local preferido a esta hora. O Quico adora ver o movimento crescente de autocarros e motos, o Rafa adora começa a espalhar os vários brinquedos alojados nas caixas na noite anterior (só lá ficam o breve espaço em que dorme!)
  • sete e dez minutos - as primeiras brigas entre eles sobem de tom, querem sempre os mesmos carrinhos, a mesma bola, o mesmo livro
  • sete e quinze - já se ouvem gritos, palavrões e muitas queixas de «larga-me Quico» e «sai mano»
  • sete e trinta - intervenho, tentando levar algum comigo e começo pelo Quico, pensando ser mais fácil vesti-lo antes do irmão
  • sete e quarenta - o Quico debate-se para se livrar de mim, a todo o custo e resiste á roupa que tento enfiar-lhe. Depois de ter conseguido vestir a camisola, ele acaba por a tirar e suja-a de ranho, pelo que tenho de pensar noutra para ele levar
  • sete e cinquenta - o Quico está debaixo da minha cama e não consigo tirá-lo de lá. O Rafa pendurou-se na porta e faz ginástica «olímpica»
  • oito horas - consegui acabar de me vestir e passo novamente á carga em relação ao Quico. Tento vestir-lhe as calças, ele não deixa que lhe toque, dou-lhe a roupa para que ele se vista sozinho mas ele vai para a sala, ver «monecos» na TV, completamente despido
  • oito e dez - o Rafa acha piada ao irmão e resolve tirar também a roupa, não se deixando vestir
  • oito e quinze - andam os dois nús pela sala, em corridas difíceis de controlar e sem me darem ouvidos
  • oite e vinte - farta de os tentar agarrar á força, acabo por desistir e digo que me vou embora sem eles
  • oito e trinta - quando já estou à porta para sair, deixam finalmente de correr e tento então enfiar as camisolas, calções e demais aptrechos
  • oito e quarenta - ainda tenho de aguentar mais uma birra das grandes, porque o Rafa, como sempre resolve implicar com os calções escolhidos. Não se deixa convencer e insiste que sente as etiquetas (já cortadas) e quer outros calções...
  • oito e cinquenta - quase horas de estar na escola e continuo  a lutar com o Rafa, tentando fazê-lo vestir-se
  • nove horas - o meu pai, entretanto chega e resolve o problema do Quico, levando-o à escola enquanto eu aguardo que o Rafa acalme
  • nove e dez - consigo finalmente levar o Rafa até à porta e chamo o elevador, ele acaba por descer comigo, todo em desalinho, com a roupa molhada porque resolveu beber água e como sempre entornou sobre si
  • nove e quinze - estamos no portão da escola e depois da briga da praxe porque nunca quer comer na cantina (mas ás vezes tem mesmo de ser) lá entra e fico disponível para tomar o pequeno almoço, dando depois entrada no meu serviço
  • dez horas - entro ao trabalho, estando agora absorvida por outras milhentas situações até as 19h00
  • uma e meia da tarde - hora da pausa do almoço, para mim tempo para ir fazer umas compritas passando em casa, aproveitando para deixar umas coisitas em ordem e poder aliviar a minha mãe que assegura a chegada das crianças da escola, inicia os preparativos do jantar e dá-me sempre uma maozinha com as roupas que por norma ficaram espalhadas pela casa
  • sete e dez - chego a casa, deparando-me logo com os gritos do mais novo, o barulho infernal da TV, o alarido das brincadeiras do mais velho e claro, muita desarrumação
  • sete e trinta - consigo trocar de roupa e  tento colocar um pouco de ordem na casa, chamando os dois miúdos para a janta, entretanto feita pelos avós. Acabo por achar melhor pôr o Quico na banheira e deixo para depois do jantar o banho do Rafa
  • oito e trinta - o Quico continua dentro da banheira, o meu pai já jantou e acabou por conseguir dar o jantar ao Rafa, pelo menos conseguiu com que ele fosse para a sala com o prato no tabuleiro, aproveitando para dar umas garfadas enquanto faz «pinos», modalidade que agora se empenha em praticar a toda a hora!
  • oito e quarenta e cinco - o Quico é arrastado para fora da banheira, depois de ter engolido alguma comida enquanto brincava com a água, patinhos, livros de banho e todos os objectos que enfiou na banheira e depois de ter despejado tanta água no chão da casa de banho que quase temos de entrar de galochas
  • nove horas - os avós vão embora, sem que eu tenha ainda conseguido jantar e com os miúdos a entrarem na fase de cambalhotas em cima da cama da mãe - algo que começa por ser uma brincadeira e termina com choros, palavrões, estalos e quedas....
  • nove e trinta - o Rafa quer cereais, o Quico tostas com queijo creme e leitinho - lá coloco tudo num tabuleiro e começa a fase de comerem e brincarem, brincarem e comerem....
  • dez horas - tento colocar os dois apresentáveis para se deitarem - vestir os pijamas levanta sempre  mais birras e confusão - o Rafa inventa mil e uma ideias para fugir ao lavar-se, trocar de roupa e deitar...rotina que acaba por ser mais uma prova de esforço (físico e mental) o Quico apanhado no meio, acaba por entrar na onda e faz fita por tudo e por nada
  • dez e trinta - coloco o Quico na cama com meia dúzia de livros e outros tantos brinquedos. O Rafa acaba por se deitar perante a minha insistência de que deve pelo menos vestir uma camisola e uns calções (pijama completo é algo que lhe parece tortura)
  • dez e quarenta e cinco -  pedem-me água mais uma vez...lá vou à cozinha, preparo os copos e volto a ter de os colocar na cama
  • onze horas - depois de entoar as canções preferidas, os dois começam a ficar mais calmos. Tento então que durmam, apagando a luz e deixando-me ficar um pouco mais no quarto. Quando percebo que já não se mexem tanto saio, dizendo que depois volto
  • meia noite - já não ouço barulho vindo do quarto deles e arrisco passar por lá a ver se estão  a dormir, acabo de os cobrir  e vou comer antes de deitar
  • três da manhã - acordo com o Quico a chamar por mim...depois de o deitar, não me lembrei de lhe colocar uma fralda...fez um grande xixi e é necessário mudá-lo, deito-o na minha cama, lavo-o minimamente e dou-lhe leitinho para que durma mais rápido
  • quatro da manhã - ainda estou ás voltas na cama e o Quico continua a dar pontapés, não o posso mudar para a cama dele porque está bastante molhada, por isso ele insiste que quer ver o Panda
  • seis e trinta - devo ter passado pelo sono mas o Quico achou que o dia estava adiantado e que eram horas de saltar da cama....

Pronto, relato cronológico de um dia que em muitas das situações se repete vezes sem conta...

Claro que nem sempre me sinto igualmente cansada...mas estou naquela altura do mês em que apetece ter mais sossego, mais horas de sono e principalmente mais paz! Coisa que por cá nem sempre é possível...

 

 

sinto-me: em dia não
tags: ,
postado energia-a-mais às 16:26

Quinta-feira, 26 de Março de 2009

 

a modos que sem pachorra para nada, mesmo tendo muito que fazer (e até gostando do que se faz!)

Com dores de cabeça pelas cada vez menos horas de sono (resultado de ter retirado a medicação do Quico - ordem médica, o que o faz despertar ao ritmo geneticamente programado para a madrugada!!)

 

Com a chegada do Magalhães (depois de uma viagem mais longa que a feita pelo navegador...) o mais velho tem andado teimosamente agarrado ao dito, cada vez mais implicativo com todos e sobretudo com o irmão...não se consegue ter um segundo de ordem nesta casa (coisa típica mas que devia estar mais controlada...) Falei com a psicóloga do Rafa e ela concordou que temos de ir a consulta e começar a arranjar métodos novos, pois está visto que ele tá na fase

 

o vestir é cada vez mais complicado e até o Quico quer sair de casa bem cedo, só para não ter de ouvir a birra do mano...sei que me descontrolei nos últimos dias, disse coisas que nunca pensei (voltar) a dizer e que magoei o Rafa com observações impensadas  mas uma mãe que passa mais de uma hora a tentar vestir um menino de 8 anos, que para além de não parar quieto, grita histericamente que não consegue vestir uma peça de roupa...que vê o ambiente caotico da manhã, repetir-se dia após dia, uma mãe que já não tem argumentos e á força não consegue tirar o filho de casa, acaba por fazer o que não deve, dizer o que realmente não pensa.

 

espero que com descanso, a minha boa disposição regresse, pois até eu me acho chata...

 

 

sinto-me: a desanimar
postado energia-a-mais às 22:56

Sexta-feira, 25 de Julho de 2008

Acho que já comentei aqui algumas vezes como tem sido difícil conseguir tirar férias desde que o Rafa nasceu. As últimas que posso considerar como tal (embora pouco tenham servido para descansr pois nessa altura ainda nos estavamos a adaptar ás «diferenças» do meu filhote) foram há cinco anos e estivemos no algarve.

Era pois com entusiasmo que encarava a hipótese de tirar este ano uns diazitos de descanso (relativo), longe da rotina e principalmente com ajuda do marido. Claro que planear para onde, atendendo ao orçamento e a todas as condicionantes, não é fácil.

Colocamos logo algumas hipóteses de lado, não podemos viajar muitas horas de carro (por isso ou vamos de avião para algum sítio ou temos de ficar pela nossa zona), não podemos ficar em locais onde as crianças se sintam presas, tipo T0 que alugam para férias nas praias. Também não podemos ir para um sítio em que só se possa fazer uma actividade (ir á praia, o mais velho nunca vai mais de 2 dias seguidos) sem ouro tipo de animação.

Depois de muito pensar e porque a ideia é conciliar a animação para os miúdos com o descanso dos pais, encontramos o que nos pareceu o plano certo - um parque temático em Espanha (perto de Barcelona - podemos sair de avião) em que os miúdos se divertem, com várias actividades do próprio parque para as cranças e com monitores do hotel. Os pais podem apanhar sol, tomar uma bebida ou duas, apanhar mais sol e descansar!!!

Bom, não é ? Pois, era! Acontece que desde maio, acreditava eu que o meu marido tinha resolvido na empresa a data das férias. Desde maio que tinhamos reserva para a semana de 09 a 16 de Agosto...mas, surpresa!! O meu marido, esqueceu-se de planear isso com o patrão. Afinal não pode tirar férias nesse período, só a partir de 18...o problema é que está tudo cheio, até final do mês! Não há vagas nos hoteis do parque, não há vagas em hotéis perto do parque e tudo o resto implica já outras despesas não previstas e de todo não suportáveis.

Resta a resignação de mais um ano a suspirar com três diabinhos (o pai consegue ser mais um) em casa, sem nada para fazer a não ser chatear a mãe a toda a hora, com a avó sempre a querer ajudar (nessa altura já estará a trabalhar pois as suas férias são no início do mês) por isso rotina, rotina e mais rotina!!! HELP

sinto-me: com vontade de matar alguém
postado energia-a-mais às 14:15

Terça-feira, 04 de Março de 2008

Todos os hiperactivos têm uma rotina muito própria. Os meus são tão organizados na sua desorganização que até assusta. O dia está dividido em - antes da escola e depois da escola. Aos fins de semana o dia est á dividido em - antes da escola e depois da escola, com a clara diferença que não há escola durante todo o dia.

A rotina é sempre a mesma, em termos de horário temos a primeira parte da responsabilidade do mais pequenino que começa normalmente entre as 04:00H e as 04:30H e termina para um descanso entre as 06:00H e as 06:30H (este intervalo é aproveitado por mim para, nos dias de semana, levantar-me e iniciar as tarefas ou, nos fins de semana, fechar os olhos por uma hora). A segunda parte já é de responsabilidade do mais crescidinho - eles dividiram por uma questão de igualdade, assim garantem a minha assistência exclusiva. Começa por volta das 07:00H / 07:30H e entretanto vai alongar-se e confundir-se ao longo do dia.

Enquanto as crianças afinam as gargantas eu preparo-me para a habitual correria, duzentas chamadas de atenção para a hora e posso começar a terefa de vestir os diabinhos. A escola é á s 09:00H mas entretanto eu já fui levar a minha mãe (que vive perto de mim) ao trabalho o que implica fazer esticar mais meia hora. Pelas 08:30H estamos na fase mais dura (que o digam os vizinhos), a medicação ainda não faz a diferença e as roupas têm asas e aterram nos sítios mais estranhos, posso ter de levar um, ou mesmo os dois, sem alguma das camisolas vestidas (tarefa que é terminada no único café que nos acolhe com um sorriso, enquanto a Dª Lígia  prepara os lanches e os coloca na mochila). Depois dos vómitos da praxe ( o mais velho tem sempre dores de barriga que terminam na projecção de cuspe e saliva) e da tentativa de limpar o mais pequeno da manteiga que entretanto espalhou pela cara, roupa, cabelos, chegamos finalmente á primeira paragem/descarga - o infantário e logo a seguir (do outro lado da rua) a escolinha do mais velho - mais um pouco para o necessário empurrão final, a promessa que o comer da cantina vai ser do seu agrado e pronto, estou livre para me dedicar a umas horitas de descanso (trabalho)!

sinto-me:
postado energia-a-mais às 15:26

mais sobre mim
que querem saber?
 
Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
27

28
29


disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro