A Hiperactividade vista à lupa

Quarta-feira, 08 de Janeiro de 2014

 

 

ai e tal, as festas acabaram, agora volta-se à rotina....

 

bem, sim! mas só algumas. De resto, espero que este ano seja bem diferente e que não haja muito de rotineiro, sobretudo no que diz respeito ao meu estado de«dona de casa» sem trabalho a não ser o doméstico!

 

Os miúdos continuam a ser a minha prioridade mas este ano espero renovar a esperança de encontrar um trabalho em que me valorize e me sinta bem! ser mãe de duas crianças com PHDA é desgastante, faço o triplo de tarefas com cada um deles, passo muito mais horas de stress para manter o ritmo certo cá em casa, no entanto, sinto falta de ter o meu tempo ocupado por algo mais produtivo fora de casa. Apesar de saber que dessa forma, certamente teria menos tempo para acompanhar certos detalhes...e de o cansaço físico aumentar (ainda mais)! de certo modo, o meu cérebro também tem uma rotina diferente e na ocupação pode estar a libertação!

 

Se há rotinas bem vindas? sem dúvida - os miúdos estarem a acertar o relógio biológico «after party»! pelo menos agora consigo voltar a metê-los na cama pelas 22h00 a ver se se deixam dormir lá para as 22h30...o Quico ainda só consegue adormecer por volta das 23h ou até mais tarde mas penso que mais uma semana e o sono volta a estar mais regular! o mais importante agora será acertar também a medicação de cada um (que já não faz o efeito desejado) para que o segundo período escolar não descarrile...é pela experiência que tenho, um período sempre de maior sobressalto porque a ansiedade aumenta e porque a exigência é maior!

 

e assim vamos andando...novo ano, esperando viragem a sério! e dar um chuto nas rotinas!

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:55

Terça-feira, 08 de Outubro de 2013

 

se for português, a resposta é

 

 

muito dificilmente!

 

Na verdade  a julgar pela dificuldade encontrada por mais do que uma pessoa bem próxima (uma delas o meu marido) pode ser mesmo uma tarefa ingrata e assustadoramente desmotivadora! para além da burocracia com papelada vária (desde contrato de trabalho, garantias bancárias, fiadores, número do agregado familiar, situação marital, cauções, etc, etc.) as agências desmarcam visitas sem motivo aparente, acrescentam valores com despesas não mencionadas antes, colocam todos os entraves possíveis até que o próprio interessado desista!

 

...e se há mais do que um interessado de nacionalidade diferente da portuguesa? pois - no caso de serem de outros países não posso confirmar mas se o interessado portugues «concorre» com um belga ou luxemburguês, então a resposta é «o senhorio preferiu arrendar ao outro»

 

 

  

 

Atenção que não estou a falar de alguém que tenta arranjar casa sem ter trabalho, isso nem sequer seria considerado. Falo de alguém com contrato já efetivo a residir no luxemburgo já à tempo suficiente para se perceber que quer lá ficar. E de casas que não são «pardieiros» decrépitos ou quartos de comuna, os tais de serviços sociais. Falo de arrendar estúdios ou apartamentos a valores não inferiores a 600€/mês com caução de 3 meses e gastos extra que podem ir aos 200€ mensais - o normal nesse país para uma pessoa só (no caso de uma família que precise de 2 quartos a conta sobe para os 1500/1600€ mais os tais 200€/mês)

 

Quem acha que emigrar é a salvação, informe-se muito bem mas mesmo muito bem e faça muitas contas antes de «dar o salto» - senão bem pode cair no abismo em menos de um clique!

 

 

postado energia-a-mais às 14:33

Quarta-feira, 01 de Maio de 2013

 

 

existe uma nova classe no país para quem o 1º Maio tem um significado diferente

 

são os (des) empregados - aqueles que estão sem trabalho, continuam desempregados mas foram contratados pelo estado, trabalhando em instituiçoes públicas a preço de chuva, ou seja pagas pelo subsídio de desemprego.

 

São pessoas sem direitos, sem sindicatos, sem regalias sociais, cujo trabalho não é reconhecido mas que fazem maravilhas em termos estatísticos - sempre que a taxa de desemprego dispara, os centros de emprego colocam logo estes programas em atividade, fintando a realidade, mostrando os números que querem mostrar - daí se explica que a taxa de desemprego tenha «estagnado» apesar de todos conhecermos uma realidade bem diferente!

 

E é assim, nessa classe não reconhecida que me encontro este ano - ouvindo muita gente dizer a propósito da minha situação «mas olha, ainda bem, assim estás distraída, se estivesses em casa seria pior...» ou seja parece que para mim, ou outros como eu a distração passou a ser o nosso sustento...

 

postado energia-a-mais às 09:50

Sexta-feira, 28 de Setembro de 2012

 

 

não, não estou a falar do meu «não» emprego na escola, que aliás vai correndo bem, graças a uma camaradagem com as minhas «não» colegas, pessoas simpáticas, eficientes e que me fazem sentir integrada 

 

Falo do trabalho em linha que tem de existir para dar conta do «recado» em casa. Ora vejam....

 

agora que as crianças começam a entrar no ritmo certo, tudo parece correr melhor! pois...só que essas crianças não são as minhas...por cá continuam a fazer birras, a quererem brincadeiras até altas horas, a manter pouca roupa no corpo e muita genica matinal...aqui continuamos a estabelecer um pacto com o verão e a fazer da banheira piscina, das almofadas dos sofás escorregas e das bolas, aliadas que servem para combates de irmãos! somos obrigados a ter uma linha de trabalho contínua para que a casa funcione...{#emotions_dlg.sarcastic}

 

os meus pais asseguram grande parte dessa linha - o meu pai leva os miúdos à escola, primeiro o Rafa e depois já comigo, o Quico. No início da manhã o esforço para os levar até ao carro continua a ser enorme, tal como no ano anterior. O Quico tem alternado dias em que sai alegremente de casa com o peito inchado por fazer parte dos crescidos, com dias em que se agarra a mim e chora desalmadamente ou corre em sentido contrário ao da sala de aula...O Rafa, continua a ser um bebé grande com fitas em que entram dores de barriga assustadoramente providenciais, birras por causa da roupa e muita resistência a sair de casa. Entretanto a linha não pode parar. Como não posso almoçar em casa, o meu pai assegura que exista sempre almoço fresco para a bisa e eventualmente para o mais pequeno. Além disso, terças e quartas o Rafa não almoça na cantina da escola pois não tem aulas de tarde.

Depois das 15h a minha mãe contribui para a linha, fazendo os lanches e ajudando na logística da casa, com roupas e louça para que não se acumulem . Asseguram assim que o Quico não tenha necessidade de estar muitas horas na escola (só o inscrevi em duas AECs) e que o Rafa possa passar as duas tardes em casa.

Depois das 18h já chego eu e a produção em linha é reforçada - sigo para as compras, os meus pais preparam-se para irem embora, coloco a janta a fazer, começo a dar banhos (a primeira é a bisa, segue-se o mais novo e depois supervisionar o mais velho - assim, tudo em linha, única forma possível de conseguir manter o ritmo) assim que tiro o mais novo da banheira, ultimo o jantar, depois é verificar que todos se sentam a comer, coisa rara por cá, correr atrás de um ou de outro para que terminem o jantar, começar a arrumar, aproveitando a «embalagem». Deixar todas as divisões da casa operacionais pode demorar umas duas horas e para que a linha não fique «congestionada» vou impondo ordem para que façam os TPC (aventura digna do relato de um post). 

Depois de mais umas quantas tentativas deles para se manterem activos, o final da linha consiste em - comer cereis, beberem água, lavarem os dentes e deitarem....claro que isto na prática não segue uma linha assim tão exata {#emotions_dlg.lol}

Logo que caem na cama, arreliam-se um ao outro, eu imponho silêncio....muitas vezes, até resultar. Depois de estarem realmente a dormir a linha abranda, apanho os últimos brinquedos, deixo as roupas para o dia seguinte, preparo as lancheiras, venho matar o vício do blogue e siga....

 

....para linha!

 

postado energia-a-mais às 09:13

Quinta-feira, 05 de Janeiro de 2012

 

 

ou como o desemprego muda tudo....

 

Pois é! o início deste ano trouxe uma daquelas alterações à vida que nos deixam com pouca vontade de dar as boas novas...Com dois cursos superiores, mais de 15 anos de licenciatura, com altos e baixos no percurso profissional, estou mais uma vez no espaço de três anos, sem emprego. A trabalhar na área da saúde, uma das que mais cortes sofreu por parte deste governo, vi o meu posto de trabalho a ficar cada vez mais em risco até à queda fatal, no final de dezembro - era inevitável, gente a mais (para uma clínica que viu reduzir a sua faturação em mais de metade) e contrato de trabalho a terminar, era eu sem dúvida o elo mais fraco - vim embora... Admito que ainda com um misto de sentimentos que vão da frustração à raiva, da saudade à angústia da perda. Muito dei de mim e muito trouxe comigo, das colegas de quem fiquei amiga, das coisas que aprendi, dos momentos sem ponta de monotonia, alguns episódios inesqueciveis! Continuo assim, tal como com o primeiro trabalho, genuinamente interessada, fazendo de cada etapa uma aprendizagem...pena de que por enquanto, não possa dizer que isso me tenha trazido estabilidade - ou tenha sequer valido a pena!

 

Não está a ser fácil habituar-me sem desatinar...ficar à mercê de um qualquer subsídio não é um plano de vida. Mas arriscar, principalmente quando há tanta coisa a correr mal neste país, também não me parece uma alternativa risonha...Precaridade começou a ser uma palavra demasiado presente no meu dia a dia! como se não bastassem as dificuldades normais de rumar contra a maré, vejo-me agora sem remos - em águas turbulentas, com mais dois a bordo e um destemido (marido) que tenta manter o barco à tona....

 

 

 

Tratar de todo o processo burocrático de acesso ao fundo de desemprego é absolutamente desgastante. Desanimador quando se chega a uma instituição como o IEFP e logo pela manhã se tira uma senha de atendimento com o nº 570....numa sala a abarrotar, vejo pessoas de todo o tipo e basicamente todas com o mesmo ar que sei que vou ter daqui a algum tempo (coisa que nunca esperei dizer...) resignado! Lá se vai cumprindo o ritual - inscrição no centro de emprego, prova da situação em relação a descontos efectuados nos últimos 450 dias, o funcionário que nem nos ouve lá faz o preenchimento on-line do requerimento para subsídio e pronto - estamos oficialmente à espera de....coisa nenhuma! sem ilusões, já perto dos 40...cá irei dando conta desta minha «nova» luta - e prometo, sem esconder o que me vai na alma! e se alguém se revir na situação faça favor de intervir!

 

Manter a rotina com os miúdos está a ser complicado - eles já perceberam que a mãe passa mais tempo em casa e em horários em que antes eram os avós a comandar - o problema é que se lhes explico que estou desempregada, a ordem das coisas (levantar, sem margem para demoras, vestir, ir à escola...) fica logo alterada. Optei então por lhes dizer que por enquanto a mãe está a fazer um horário diferente do anterior - faz o mesmo trabalho mas sem pausas e assim está em casa mais cedo - o que até é uma meia-verdade, pois acabo por passar mais tempo no núcleo da APCH, obrigando-os a sairem de casa à hora habitual. E assim vamos indo, aos tropeções, com a vida suspensa....

 

postado energia-a-mais às 08:08

Terça-feira, 26 de Outubro de 2010

 

 

pessoais mas perfeitamente transmissíveis

 

 

antes de mais, coisas minhas em jeito de agradecimento - a todos os que deixaram votos de parabéns à minha mãe, não só porque dou importância a estas manifestações de carinho mas também porque é uma forma de homenagem, embora simples, verdadeira!

 

 

coisas minhas são também os miminhos que recebi numa cadeia virtual de amizade, da qual me sinto muito feliz por ser incluída, porque se os outros se lembram de mim, é porque os toco de algum modo 

 

 

 

 

 os miminhos foram deixados por luadoceu.blogs.sapo.pt - geriatriaminhavida.blogs.sapo.pt e osmeuspestinhas.blogs.sapo.pt

 

 

 

 

existem regras para a transmissão dos selinhos:

 

devo agradecer e deixar link de quem me enviou os miminhos (feito!)

devo passar a dez blogues amigos

 

 

 

milsorrisos.blogs.sapo.pt

flordemiosotis.blogs.sapo.pt

olharesazuis.blogs.sapo.pt

mamaerafel.blogs.sapo.pt

sentaqui.blogs.sapo.pt

cantinhodamanu.blogs.sapo.pt

cantodabofa.blogs.sapo.pt

terriveis_anjinhos.blogs.sapo.pt

coisinhasdalili.blogs.sapo.pt

abigai.blogs.sapo.pt

 

 

claro que ficam muitos de fora, no entanto a corrente passará por todos certamente, com beijinhos meus

 

 

coisas minhas são também estes desabafos

 

como alguns já sabem, estive bastante tempo afastada do mercado de trabalho - uma espécie de «opção» aceitavel para equilibrar o frágil sentido de autonomia do Rafa e o desgaste provocado pelos anos pré diagnóstico. Depois de medicado e de ter iniciado o ensino básico, refiz as minhas rotinas e consegui inverter a tendência de me tornar dona de casa e mãe a tempo inteiro (não critico quem o faz, acho mesmo que tudo passa por uma questão de prioridades - eu achei que as minhas podiam passar por voltar ao trabalho fora de casa!)

Consegui conciliar os dois meninos com o meu emprego, com ajuda dos meus pais (horário das 10h às 19h obrigou a ajustes de quem ia buscar as crianças e quem cuidava delas na hora difícil de fim de tarde...nunca tive de pedir nada, sempre os meus pais me colocaram á vontade - super!)

Esta terrível epidemia do desemprego veio quebrar essa  rotina, durante mais ou menos um ano, estive de novo apenas voltada para os miúdos e embora fazendo trabalho voluntário para a APCH, fui espreitando e concorrendo a oportunidades. Felizmente acabei por conseguir um lugar numa clínica de radiologia e diagnóstico por imagem, perto de casa e com horário razoavel (9h - 18h) o qe me permite, para além da bem vinda ajuda financeira, sentir-me novamente mais realizada a nível pessoal.

 

Porque é que partilho isto? porque me apeteceu lol! e porque se muitas mães acham difícil conciliar emprego com maternidade e responsabilidade doméstica, eu entendo perfeitamente! agora ando numa azáfama desde as 7h da manhã - preparar lanches, vestir e fazer a higiene de um hiperactivo e de um reguila que nunca pára, arranjar-me (dado que estou sempre com público, embora andando de bata branca, tenho de ter uma imagem cuidada), deixá-los aos dois na escola, estar na clínica antes 5m das 9h - são tarefas que aos poucos ganharam ritmo proprio.

Depois das 18h tudo volta ao corre-corre, mudando apenas as tarefas - banhos, jantar e loucuras de bradar aos céus, lutas constantes para colocar os dois na cama, conseguir fazer o Rafa permanecer na cama dele, ter muitas vezes de fazer faxina nocturna para a casa estar operacional de manhã, dar atenção à bisa que dorme cá em casa, olhar pelas actvidades extra dos putos, conter despesas, pagar contas, fazer compras....tudo temperado com fins de semana alucinantes, momentos únicos que só pais de crianças «diferentes» conseguem entender, lidar com a ausência (física) do marido,

 

Pronto, coisas minhas (e de outras, certo?)

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 08:57

Sexta-feira, 01 de Outubro de 2010

 

 

difíceis de gerir!

 

 

 

 

 

O Rafa sempre teve muita dificuldade em entender as idas e vindas do pai, camionista de profissão. Antes, quando era pequenino, bem tentávamos minimizar a coisa, fazendo despedidas rápidas (género - vou ali e venho já!) quando afinal a partida indicava mais de três semana de separação. Eram noites de choro, muita agitação, pedidos constantes pelo pai, doloroso para mim e para ele, claro!

Se o levávamos até ao camião para ver o pai partir, ainda era pior, muitas horas de atraso para o pai porque o Rafa não se desprendia e o coração do pai não aguentava...

Sempre que o pai estava prestes a chegar, a ansiedade aumentava, o descontrolo era total...e quando o via logo lhe perguntava quando ia novamente partir...O Rafa continua assim - pergunta vezes sem conta porque é que o pai tem este trabalho...a ansiedade mantêm-se!

 

Com o Quico, era um pouco diferente, habituado desde sempre a ficar sem o pai, não fazia muitas perguntas e até costumava tentar ajudar o mano a entender com a simples explicação «o pai tem de ir ao tabalho mano, tem que ser!»

Mas nos últimos tempos, o meu menino mais novo também tem tido momentos de muita saudade - acorda a chorar, fala do pai a cada instante, na escola deixou de comer, abatido só perguntava quando o papá ia chegar...

 

hoje dava tudo para ter presenciado a cena quando o pai, acabadinho de chegar o foi buscar à escolinha! o Quico delirou, estava extasiado quando cheguei a casa, os dois já lá estavam e pareciam uma lapa, coladinhos ao papá! como era dia de piscina para o pequeno, o pai foi o acompanhante, ficando para o Rafa a promessa de uma jogatana a dois na playstation!

 

Agora é aproveitar, porque passa tão rápido que cada segundo conta! e a cama? lembram-se? pois acho que vou ter de a dividir...uma das noites o Rafa tem permissão para dormir com o papá!

 

 

 

tags: , ,
postado energia-a-mais às 08:51

Sexta-feira, 13 de Março de 2009

 

 

supersticiosa?  é que hoje sexta 13 soubemos que:

 

Segunda feira 16 - 8:00H reunião geral aqui na empresa

 

Será bom ou mau sinal 

 

 

 

Eu até disse que tinha bons pressentimentos mas acho que não tá relacionado com algum aumento de salário.....

sinto-me: admirada com isto
tags: ,
postado energia-a-mais às 16:18

Quinta-feira, 12 de Março de 2009

O  dia de Hoje....

está a ser do mais infernal....tipo:

acordo de manhã - big birra do mais pequeno que insiste em ir sozinho á cozinha preparar o biberon! Faz um berreiro porque não quer ajuda e obriga-me a voltar para a cama...isso não seria mau de todo se ele não entornasse o leite o que o irritou mais ainda, fazendo-o gritar ainda mais alto!

Como acordou com a telha, não se queria vestir, não deixava pegar em nada, contrariava todas as ordens. Serenou um pouco com a chegada do avô mas aproveitou para lhe fugir no caminho para o infantário (vamos a pé) e apanhamos um grande susto porque ele atravessou a rua a correr, passou por todo o jardim que rodeia a câmara municipal e só parou nas escadas de acesso ao enorme parque/jardim onde se realizam as festas da cidade - diz ele que queria ver a «bola grande»....com isto tirou o folego ao avô que se viu e desejou para conseguir levá-lo o resto do percurso!

nos entretantos - o mais velho acorda com uma big birra! Põe-se logo com vómitos e correrias e mais vómitos e correrias...deixa a casa em pantanas...não se deixa vestir (tentei apenas quando o meu pai já tinha saído com o mais pequeno) porque continua com toda a paranoia contra qualquer tipo de roupa! Desde a roupa interior, calças de ganga, tecidos vários e agora até os fatos de treino...veste-se e volta a tirar a roupa, atira com tudo pelo ar, agonia de tanto calor, vomita ranho e saliva, dá enormes piruetas pela casa....só não deixa que lhe cheguem a roupa ao pêlo!!! Quando isto acontece em dias em que temos horas marcadas (escola, trabalho...) faço o seguinte - ignoro o nó no meu próprio estômago, deixo que esperneie e espero que o medicamento actue...só que ás vezes demoraaaaa...

Então resolvi fazer uma cena e dizer que iria também tirar a roupa (juntando ao dizer, alguns gestos convincentes,lol!) e iríamos nús por ali fora....ou porque ficou com receio que eu me estivesse a «passar» ou porque o comprimido começou a fazer a sua função, lá acabou por vestir um fato de treino e sair de casa...mas não deixou de gemer todo o caminho, martirizando-me com o ar mais infeliz deste mundo - porque não se conseguiria sentar na sala de aula, porque não iria brincar no intervalo....e tal e tal....

 

Quando chegar do trabalho terei de certo muito para ouvir....e por falar no trabalho - isto hoje parecia andar tudo doido como as galinhas!! Ora mandavam fazer marcações, ora mandavam desmarcar...ora entravam em reunião, ora saiam sem dizer nada...ora mandavam ligar, ora desligavam as chamadas...grrrrrr!!!! Mas será que esta gente tá boa da cabeça????

 

 

sinto-me: em guerra com dia de hoje
postado energia-a-mais às 17:21

Segunda-feira, 03 de Novembro de 2008

Pois é! Isto não está fácil! Gosto realmente do meu trabalho a tempo inteiro, é um desafio que me está a deixar muito satisfeita e adoro o ambiente entre os colegas!

O problema é mesmo conciliar isto com os milhentos afazeres que tenho de continuar a cumprir e com as dificuldades de quem não tem o par para dividir tarefas básicas, lol!

 

 

Pôr a engrenagem a trabalhar não é pêra-doce, até porque os meus pais estão a ficar realmente cansados e receio que não possam aguentar este ritmo por muito tempo...

Eis o que consegui (re)organizar:

  • de manhã, como os miúdos estão a acordar ás 06:00H, começo por fazer camas e deixar roupas arrumadas e para que não tenham tempo de fazer disparates, visto o Francisco assim que acaba de tomar o leite, dou a medicação ao Rafa e só o visto quando começa o efeito, não os deixando sair de junto de mim, para que me ajudem com as arrumações - assim evito que mexam noutras coisas (embora nem sempre resulte, lol) e tenho quem puxe pelos cobertores
  • vou levá-los á escola e só depois tomo o pequeno-almoço para evitar atrasos e discussões/gritaria em padarias
  • como só entro ás 10:00H fico com quase 40 minutos que aproveito para colocar no sítio alguma coisa e deixar os meus «recadinhos» - agora para além dos posts para o Rafa, deixo uma lista para a minha mãe - é que é muito difícil lidar com ele quando chega da escola mas se tiver uma orientação sobre o que fazer, torna-se mais fácil (por ex. ela insistia para que tomasse banho - isso é impossível aquela hora! Ele nunca cumpria essa ordem e acabava tudo em histeria. Se ela der banho ao mais pequenino eu depois trato do Rafa!)
  • na hora de almoço posso ir a casa e consigo terminar algumas tarefas, espreitar o mail e «visitar» alguns amigos, lol!
  • quando chego é tempo para tratar do jantar (a minha mãe adianta conforme o combinado e ajuda-me a dar o jantar ao Quico enquanto eu trato do mais velho). De seguida insisto para que vão embora (sei que a minha mãe se preocupa imenso por me deixar naquela hora!)
  • deixo que brinquem no fim de jantar, agora no meu quarto para que os possa ter debaixo de olho e tento visitar alguns blogues, deixar alguns comentários, podendo assim continuar o meu «vício» sem os privar da minha companhia (como as brincadeiras são saltar em cima da cama, rolar pelo chão, jogar ao «deita-abaixo», é mais fácil tê-los por perto e o meu quarto tem espaço e pouco para partir, lol!)
  • adormeço os 2 ao mesmo tempo, cantando para o Quico, enquanto o Rafa vê as gravuras do livro sem ler alto...e quando o Franscisco cede ao sono, então leio uma historinha de dinossauros (agora vamos num atlas) o que acaba por me poupar algum tempo! Também por agora adormecem uma hora mais cedo pois como já disse estão a acordar ás 06:00H
  • mal os deixo, venho «matar» este bichinho de blogar, lol! E depois faço a minha ronda pelo que seja necessário arrumar (nada pode ficar para o dia seguinte...) verifico roupas, mochilas e lanches, ponho um chá a fazer e vou nanar depois da minha higiene, claro! Isto costuma dar até á 01:00H ou mesmo 02:00H mas pelo menos tenho conseguido chegar a horas á escola e ao trabalho

 

No entanto para que tudo funcione tenho mesmo de andar num «coli, coli» que é como quem diz (ou como diz o Quico) corre, corre!

 

postado energia-a-mais às 22:56

mais sobre mim
que querem saber?
 
Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
27

28
29


disseram agora
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
Boa tarde. O dr. Luís dá consultas em braga, aveir...
Boa tarde, é possível dizer-me onde dá consulta o ...
Olá,Desculpe intrometer-me mas será que me podia f...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Os que me visitam
Passam por cá - desde 18/11/09

blogs SAPO


Universidade de Aveiro