Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

18.Jun.10

do caraças.....

 

 

já cá mencionei várias vezes que os meus filhos (em especial o mais velhinho) são exactamente o que uma mãe que se preze não quer admitir....

 

são totalmente irrequietos, desobedientes, provocadores e respondões...o Rafa então, tem momentos de deixar o cabelo em pé a quem está com ele, usa linguagem do pior, é um desbocado, sem pingo de vergonha, parece um furacão por onde passa

 

 

Ontem, dia das marchas das escolas, com a irreverência do costume, o meu filho quis assistir. Claro que desesperou logo no início enqanto esperava a formação dos meninos participantes...

 

e desesperou depois, porque «nunca mais acabava» e depois porque queria ir aos carroceis e depois porque queria um cachorro quente, enfim...sempre a ver o que fazer a seguir, sempre ansioso pelo que vem depois....

 

O Quico, ao colo do avô, para que não se misturasse com os marchantes, estava um tagarela de primeira, falava tão alto e entusiasticamente sobre todos os assuntos que a maioria das pessoas olhava para ele, em vez de olhar o cortejo....

 

E os comentários, eram no geral - «que vida que eles têm»; «são tão vivos, sozinhos fazem a festa» pronto, coisas que não desgostamos de ouvir...só que em breve, com o continuar da agitação passaram a «ui que eles são terríveis» ou «devem ser bem difíceis» e pouco tempo depois «a mãe tem de lhes dar um estalo de vez em quando...», «se fosse meu...»

 

e depois houve um que me ficou no ouvido - a senhora tem uns miúdos «do caraças»!

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    energia-a-mais 19.06.2010

    Olá! sim é verdade! não posso dizer que seja fácil, no entanto acho que esconder ou viver uma mentira seria bem pior! O Rafa sempre foi complicado e se eu continuasse, como no início a dar ouvidos a certas pessoas nunca teria ido com ele pelos caminhos mais correctos - médico, diagnóstico, medicação. Por isso, acho que aceitar os meus filhos tal como são, com os seus defeitos é dar também muito valor às suas qualidades - eles não são perfeitos (ninguém é) mas vivem numa casa onde existe muito amor e sinceridade!
    beijinhos muitos
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.