Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

02.Ago.10

da esperança

 

 

à desilusão....

 

assim oscilaram o meus sentimentos nestes dias!

 

da esperança

 

O Quico fez aninhos (obrigada mais uma vez a todas as mamãs que nos deixaram os parabéns!) na sexta feira e decidimos esperar pelo Pai para festejar com mais calma e com alguns convidados, apenas no sábado(embora na sexta tenha havido, claro bolinho, velinhas e algumas prendinhas)

 

A minha esperança era que com o pai por cá, tivessemos um dia bastante preenchido mas agradável, com os festejos a trazerem até nossa casa alguns amiguinhos do Quico e alguns familiares (a avó paterna, companheiro e os priminhos). Marcamos para as 15h30 dado que sabemos que os miúdos ficam super ansiosos e não queriamos prolongar a «agonia» da espera! também como alguns dos convidados fazem sesta não os podiamos deixar muito cansados...

 

Outra esperança minha era que o Rafa não estragasse a festa  do irmão, coisa que como sabem é do mais provável...

 

também tinha esperança que no domingo não houvesse birras e confusão quando estivesse na hora de sair para a festa da aldeia do pai, acontecimento anual do primeiro domingo de agosto! é sempre um momento de tensão mas...pronto tinha esperança que este ano até fosse diferente!

 

Tinha esperança de poder esta semana iniciar algo mais do que a nossa rotina caseira, com saídas mais ou menos planeadas, com uma ida à Feira Medieval, umas escapadelas até parques e praias e visitinhas a alguns locais de interesse....

 

 

da desilusão

 

a festa do Quico correu de modo sui generis....conhecem outra festa em que o aniversariante vai jogar à bola e deixa os convidados plantados? e isso nem foi o pior....

 

Umas horas antes, estive a colocar os enfeites e a dar os últimos retoques nos preparativos, para isso o pai levou-os até às piscinas para eu me poder orientar. Claro que assim que chegaram, correram a desfazer o que já estava...mas fui aguentando e quando os miúdos começaram a chegar a sala ainda estava razoavel..

mas o Quico depressa se encarregou de mostrar o que sabe fazer melhor - asneirolas! sem se dar ao trabalho de receber os convidados, andava doido pela casa, rodopiando sem parar, não ligando a mínima para quem chegava, nem  para as prendinhas que traziam...

 

O Rafa que até tinha amiguinhos da sua idade para confraternizar, também nem lhes dirigia a palavra, obcecado que estava pelo tal jogo GTA que o pai lhe trouxe para a playstation2...enfim! andamos nós o tempo todo a tentar encontar uma actividade que os fizesse participar na própria festa e principalmente a entreter os convidados....

 

O soprar das velas e momento maior de todas as festas de aniversário, foi um dos mais complicados, pois ninguém entendia porque é que o aniversariante não participava, atirava com tudo pelo ar e estragava a canção da praxe com frases em que os palavrões reinavam!

O Rafa tudo fez para ser o centro, apagando ele as velas, gritando a plenos pulmões e atazanando o irmão de todas as formas

 

e depois? bem, depois, chegamos ao cúmulo de termos os convidados em casa, por entre uma parafernália de brinquedos e o Quico, eufórico a jogar à bola com o pai, no parque em frente....

 

O final foi um tanto caotico, com os pais dos outros meninos a não perceberem muito bem o que se passava...mas enfim!

 

Domingo, mal o Rafa entendeu que tinhamos de sair, passou-se...nem o comprimido ajudou muito! não o conseguimos convencer de que  avó, o pai e o resto da família que naquele dia se reune, também gostariam de o ter por lá! o Rafa detesta sair do seu território e muito mais se a coisa mete festa familiar com pessoas não tão próximas assim, horas de «seca» em que ele não encontra nenhum motivo de interesse e que o leva ao desatino total! Este ano então, foi mesmo impossível arrastá-lo...o pai argumentava mas sem resultado prático, rendeu-se depois de uma manhã inteira de desgaste. O Rafa ficou com os meus pais mas, contrariando a sua vontade, nós fomos e levamos o Quico.

 

Claro que eu não fiquei muito bem...tivemos de dar as explicações usuais, reptidas a cada novo membro que chegava, o que me deixa cansada e pouco à vontade para alargar a conversa...acabamos por vir mais cedo embora, o que para  pai também não é nada bom, dado que quase nunca vê a família no resto do ano!

 

e a desilusão maior....

 

O pai não ficou de férias (ainda)..a fábrica tinha muitas entregas e o patrão pediu para fazer mais uma semana (pelo menos...) o que nos impede de fazer algumas das coisas, como a ida à Feira, dado que não me atrevo a ir com eles sem a ajuda do papá...

 

Assim por cá andaremos esta semana, tentando reavivar a esperança de que para a próxima é que é! fazendo por sobreviver ao terramoto que se abateu sobre o Rafa, quando descobriu que o pai não entrava de férias agora....

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.