Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

08.Jul.11

sustos destes

 

 

que nos fazem pensar em como é fina a linha que separa a vida da morte....

 

Como já aqui referi por várias vezes, o meu Quico, talvez porque sempre viveu num ambiente altamente eléctrico, é um menino de quase cinco anos bastante agitado. Tem momentos em que se torna impossível de parar...mesmo nas brincadeiras, é uma criança que não pára por muito tempo, embora como já disse também, diferente do irmão (que sofre de PHDA de tipo impulsivo) pois consegue construir um mundo imaginário, do faz-de-conta, bem dentro do que seria normal numa criança desta idade! adora os heróis e vilões e acha, claro que os consegue imitar - e muitas vezes imita-os mesmo!

 

Das coisas mais perigosas que faz há uma que sempre me assustou terrivelmente - vivo num prédio, num quarto andar, bastante alto, tenho umas vidraças grandes, com peitoris muito baixos que permitem ao Quico milhentas acrobacias. Dentro, essas janelas fecham com um pouco seguro sistema de pega, bastando para as abrir, rodar essa pega e puxar a janela. Embora as janelas sejam muito pesadas (por isso algo difíceis para uma criança pequena puxar) o Quico já as consegue abrir e tem por hábito colocar-se perigosamente pendurado nelas...

Além disso, descobriu que se pode agarrar a duas dessas pegas e trepar pelas janelas, aproveitando o formato (rectângulos grandes, divididos pelos suportes metálicos dos vidros). Desta vez agarrou-se mas deu impulso aos pés, empurrando-se para trás e baloiçando. Assim, com a força provocada pelo impacto e pelo peso do Quico, a janela acabou por se desencaixar em cima, caindo para a parte de fora, com o fecho/pega voltada para o ar e com o Quico lá agarrado....

 

Como é que a janela (super pesada, com vidro duplo e grande) não virou toda para fora e não caiu, só pode ter sido obra angelical....ter o meu Pai visto o que aconteceu na altura certa, também foi providencial  e ter o Quico saído ileso disto só por milagre!

 

Eu sei, pode parecer coisa de mãe «desleixada», deixar o miúdo num local onde pode facilmente chegar à janela...mas a verdade é que em todas as divisões da casa esse perigo existe, embora com fechos de segurança, o Quico é perito em conseguir furar o esquema, acrescentando que é humanamente impossível (a não ser que esteja sempre com ele - como se isso fosse possível!) manter todas as atenções nele, quando se tem uma casa para cuidar, jantar para preparar, banhos para arranjar, com os dois sempre a correr pela casa, brincando aos ninjas, aos vampiros ou piratas, brandindo espadas, ou saltando sobre móveis....

 

Fiquei «gelada» claro! nem sei como abordar o assunto, uma vez que já o repreendi diversas vezes, coloquei-o de castigo muitas outras, fiz-lhe ver que pode morrer e que ao contrário do que pensa, isso não pode ser remediado nunca...Já falei com calma, mostrando com livros e figurinhas os acidentes mais perigosos e como se deve ter cuidado...mas nada parece fazer efeito por muito tempo....Ando terrivelmente assustada e fico tão ansiosa quando não o vejo perto de mim, que até quando vai à casa de banho, o estou sempre a chamar....

 

acreditem que isto vivido quase diariamente vai arrasando a «boa onda» de qualquer pessoa...ufff! ando super cansada e as férias deles só agora começaram...

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.