Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

15.Jul.11

os miúdos são....

 

 

...o que fazem deles

 

Numa palestra em que participei, em 2009, em que se falava de educação e o contexto escolar da criança com PHDA, uma das palestrantes, referiu um dos exemplos de trabalho numa escola, em que foram feitos dois grupos de alunos com as seguintes características:

 

  • um grupo com alunos referenciados como tendo resultados escolares fracos ou muito fracos, integrando alguns com perturbações de comportamento, PHDA, dislexias, etc.
  • outro grupo com alunos cujos resultados escolares seriam acima da média, motivados e considerados bons exemplos

as turmas foram entregues a professores que nunca tinham leccionado naquela escola e nunca tinham tido aqueles alunos. Aos professores que ficaram com a turma considerada problemática, foi-lhes dito que esses alunos eram muito bons, que tinham transitado de ano com excelentes resultados e que era expectável continuarem a ser optimos alunos. Aos professores que ficaram com o outro grupo foi-lhes dito que era uma turma problemática e que não se esperavam grandes resultados, uma vez sempre tinham tido notas abaixo da média.

 

No final do período de avaliação constatou-se que a turma referida como problemática (a dos bons alunos) tinha tido resultados fracos e notas negativas, enquanto que a turma referenciada como excelente (a dos «maus» alunos) tinha tido, como era esperado, optimos resultados....

 

Por isso, pergunto eu, o que querem realmente dizer os resultados agora conhecidos, das notas dos exames nacionais do ensino básico?

 

 

Quais as expectativas reais dos professores, em relação aos seus alunos? Que impacto tem a desmotivação dos docentes nos resultados finais? Este ano lectivo com todas as greves que houveram, com os professores sempre em contestação ao sistema, com todas as polémicas levantadas à volta dos processos de avaliação, não seria já de esperar tais resultados?

 

E os pais, que responsabilidades têm nas expectativas criadas?

Da minha experiência de mãe com um miúdo portador de PHDA, com notas de excelencia, que ilacções retiro destes resultados? a julgar pelos comentários da blogosfera, são os pais os culpados dos maus resultados - nesse caso, quando os resultados são bons os méritos também serão dos pais?

 

conclusão pessoal: sou uma excelente Mãe

{#emotions_dlg.lol}

 

 

 

 

 

5 comentários

Comentar post