Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

10.Nov.11

vale a pena

 

 

insistir nas regras, dar-lhes exemplos, transmitir valores como respeito, responsabilidade...

 

Muitas vezes se diz que miúdos com PHDA são mal educados, não respeitam regras, não são nada responsáveis. Bem, claro que tantas e tantas vezes nós pais desesperamos por perceber-mos que eles são tão impulsivos e desatentos, que parecem infrigir todas as normas sociais. Além disso temos de lhes repetir as coisas tantas vezes e eles parecem estar sempre no mundo da lua....

 

Acreditem que tenho passado com o Rafa muitas situações complicadas em público! aguento os olhares recriminadores dos outros, sem culpas, pois sei que o que ele faz nada tem a ver com o modo como o educo.  Sei que os valores que lhe transmito são corretos. Sei que alguma coisa acaba por ficar...e mais tarde dará frutos!

 

De vez em quando lá tenho uma prova de que a minha persistência vale a pena!

 

O Rafa costuma ir à biblioteca municipal, especialmente nas férias de verão. Como em tudo, entusiasma-se imenso mas depressa se esquece dos livros que requesitou. Neste verão, por isnsitência do pai, ele (que não tem por hábito leituras fora dos seus interesses - criação do universo, dinossauros ou corpo humano) pediu livros da coleção «Uma aventura», logo 3, o máximo permitido. Nas férias levou-os um dia para a praia. Andou com eles alguns dias - leu tudo num ápice, sem reparar muito na história e acabou por largá-los por casa.

Com as brigas normais entre irmãos, às tantas os livros acabaram por sofrer danos. O Quico usou-os como arma de arremesso, o Rafa acaou por estragá-los com a fúria.

Obriguei-o a levar os livros à biblioteca e assumir os estragos. Sem sucesso nas primeiras tentativas, ía insistindo. Mas como o tempo parece voar, de repente o reinício da escola, o meu horário de trabalho sempre apertado....confesso que me fui esquecendo.

 

Um destes dias estavamos a arrumar uns livros e demos com eles. Relembrei o assunto e o Rafa prometeu ir lá com a avó. Lá foram uma destas tardes. Diz a minha mãe que nem precisou falar. Antes de sairem de casa o Rafa pediu à avó o mealheiro onde guarda o que lhe vão dando e quis passar na livraria. Comprou 3 livros da coleção e dirigiu-se à biblioteca. Lá foi ter com a senhora de serviço e explicou que ia entregar uns livros em atraso mas que por os exemplares que pertenciam à biblioteca terem ficado estragados por sua culpa, ele queria entregar uns novos que tinha comprado. Nesta coisa da explicação valeu a avó, para que a senhora compreendesse mesmo o que se passava - claro que o Rafa não consegue verbalizar tudo direitinho, ele fica sempre muito atrapalhado e o nervosismo fá-lo parecer até um pouco incoerente no que diz (diz tudo muito depressa e como se os outros soubessem o que ele quer...)

A verdade é que a senhora ficou muito contente com o gesto e de tão contente até o deixou requesitar um livro que por norma só deixam consultar na biblioteca (não deixam trazer para casa) - um daqueles volumes de coleção sobre o início do Universo com montes de explicações científicas!

 

Ora confesso que fiquei orgulhosa! o Rafa demonstrou que consegue interiorizar o que lhe vamos passando, mesmo que implique muito tempo e muita repetição da nossa parte - alguma coisa fica mesmo!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.