A Hiperactividade vista à lupa

Segunda-feira, 07 de Fevereiro de 2011

 

 

aproveitando a vinda do pai a casa, fizemos uma visita ao circo...e depois tivemos o circo em casa 

 

 

O Pai esteve fora um mês...imaginem portanto a alegria da pequenada quando o viram chegar na sexta feira para passar três dias connosco. Carregado de sacos, sorrisos e afectos, com muita saudade, não mais foi largado pelos nossos pestinhas, autênticas «lapas» atracadas dia e noite!

 

A rotina foi deixada de lado, tanto porque ao fim de semana há mais margem de manobra, como pelo facto do pai não a conseguir impôr! o dia de sábado foi para actividades mais físicas - bola e piscina, com passeios pedestres à mistura. Mesmo que o pai tenha dificuldade em acompanhar o ritmo, nestes dias tem mesmo que se esforçar.

Houve alguns momentos de histerismo, claro, o Rafa sempre em «picardias» com o mano, o Quico ainda a tentar ganhar o seu espaço como irmão mais novo. A verdade é que optei deliberadamente por intervir o menos possível, deixando-os resolver entre eles as emoções.

 

Os avós também «descansaram», aparecendo menos tempo, só para dizer um olá ao Pai.

 

No domingo já tinhamos combinado ir ao circo, daqueles que passam pelas terrinhas todas, não são circos monumentais mas aquela gente faz um esforço danado para continuar a montar um espectáculo tão antigo que seria uma pena não aproveitar. Por isso conseguimos convencer os miúdos a passarem uma tarde diferente. E foi bem engraçado, apesar do bilhete um pouco caro (as crianças tiveram entrada grátis patrocinada pela câmara).

O Rafa apreciou em particular os palhaços, já o Quico delirou com os animaizinhos. Mas ambos disseram ter gostado imenso, ambos se mostraram satisfeitos até ao final (coisa inédita em espactáculos) e ambos quiseram montar um circo quando chegamos a casa!

 

E foi assim que acabamos o nosso fim de semana, aplaudindo as mirabolantes tentativas de malabarismo dos nossos artistas caseiros.

tags: , , ,
postado energia-a-mais às 11:52

Quinta-feira, 03 de Fevereiro de 2011

 

 

Não, obrigada!!!

 

sim, eu poderia escrever no blogue, como os meus filhos são crianças maravilhosas e obedientes! poderia apregoar que apesar da hiperactividade, o Rafa não é mal educado (aliás é isso que todos os outros pais pretendem que se diga, porque é isso que os outros defendem...hiperactividade não é sinónimo de má educação...)

 

poderia dizer que cumprem as regras, que em casa os consigo controlar tão bem, que os consigo deitar sem problemas porque a rotina e disciplina sempre existiram e portanto eles sabem que devem permanecer nas camas, mesmo que não durmam....que se vestem sozinhos porque sempre foram assim «ensinados», que vão para a escola sem reclamar, que comem com modos porque em casa sabemos ter maneiras e à mesa não se brinca...que os consigo sentar no carro perfeitamente seguros nas respectivas cadeirinhas e com o cinto, porque afinal sabemos muito bem que as regras de segurança são para cumprir e dar o exemplo logo desde pequenos...

poderia dizer que não tenho dificuldades em fazer-me ouvir porque eles falam calmamente, que não se esquecem de dizer «obrigada» e «por favor» até porque é um hábito que eu própria cultivo

 

eu poderia ter um blogue assim - daria uma imagem de uma mãe perfeita que sabe como lidar com uma perturbação deste tipo sem ter dúvidas, sem errar e principalmente controlando as características que tornam a PHDA, uma patologia que afecta não só a criança como os que com ela (con)vivem....

 

Poderia fazer isso! Até ficava bem, teria por certo menos vozes críticas. Não seria apelidada de mãe «desnaturada», que não sabe educar os filhos...

 

 

mas, que raio...estaria ser hipócrita!

 

por vários motivos....convenhamos:

 

se os miúdos hiperactivos conseguem, como qualquer outro, apenas com força de vontade, cumprir regras e limites, dominar a sua impaciência, manter-se quietos numa cama, numa fila ou num carro, serem perfeitamente autónomos na sua rotina diária, não serem impulsivos nas suas atitudes...

 

então são hiperactivos porquê??? apenas porque não têem aproveitamento escolar?? ou porque não se «portam» bem com o professor? isso sim, não é hiperactividade...

 

quando a criança é hiperactiva, é-o em qualquer lugar e circunstância, não o consegue controlar só com força de vontade, por muito que as rotinas e disciplina ajudem a orientar comportamentos

 

e se em casa não se notam dificuldades....é estranho...

 

Portanto, para mim, que lido com esta patologia desde o nascimento do meu primeiro filho, seria hipocrisia não relatar as dificuldades. E apesar de já passarem 10 anos (mais de 7 a tentar perceber o que se passava...) continuo a ter dias em que me apatece gritar, puxar os cabelos, dias em que ando meia zombie pelas poucas horas de sono, pelo desgaste diário de cada batalha...

 

continuo a ter dúvidas sobre como agir, a não saber o que dizer em certas situações, a não ter certezas...e muitas vezes erro!

 

Mas se hoje em dia, os meus filhos estão a horas na escola, se posso levá-los a locais públicos e disfrutar disso, se o Rafa tem excelentes resultados escolares, se me respeitam e mostram saber respeitar os outros - isso é fruto da minha luta dia a dia, constante, exaustiva, luta que travo pelo futuro deles, mesmo que seja criticada entretanto!

 

 

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:10

mais sobre mim
que querem saber?
 
Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
16
19

20
24
25
26

27


disseram agora
Bem, vou directo ao assunto!!Sexta-feira, recebo u...
Boa tardeAlguem tem um feedback possitivo do curso...
Boa Noite. O Pai da minha filha está no Luxemburgo...
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
links
Passam por cá - desde 18/11/09
Passam por cá - desde 18/11/09
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro