Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

29.Jan.13

Porque se fala assim de hiperatividade?

 

 

Há uns dias uma leitora, amiga, mãe de uma criança portadora de PHDA, mandava-me por mail uma chamada de atenção para este link

 

 

http://expresso.sapo.pt/as-criancas-nao-sao-hiperactivas-sao-mal-educadas=f780888 


escrito por um tal Henrique Raposo. Confesso que não li nada deste senhor antes, nem acho que me tivesse feito falta...no entanto o tema que abordou é-me de grande interesse. Acabei por ler.

 

Fiquei obviamente dececionada. Desde logo porque percebi pelo título que o senhor não sabe nada sobre o assunto a que se propôs escrever. E não há nada mais dececionante do que ler algo de quem não traz nada de válido ao assunto em causa. Depois porque, esperançada que o título fosse infeliz mas a escolha do conteúdo fosse relevante, acabei por sofrer mais um revês - afinal todo o texto é absurdamente entediante, especialmente porque o senhor Raposo acha que tem piada.

Já li alguns textos em que o autor usa de uma espécie literária muito em voga - mistura ironia com comicidade e provoca no leitor um despertar para a realidade, apurado com o olhar da crítica social. Nada disso transparece do texto deste senhor.

O que li foi algo que já ouvi a muita gente «iletrada», muita gente ignorante, ouço-o há pelo menos 10 anos! dizer que a hiperatividade não existe, que os pais de hoje é que não sabem educar (e os que comentam e são pais concordam sempre com a ideia) que basta um sopapo e a criancinha é metida na linha - tudo conversas que edificam logo uma sociedade...basta haver um miúdo que entre a correr num café e há logo quem de cabeça no ar e língua afiada, faça milhentas considerações sobre a forma como aqueles pais educam a dita criança - por norma acabam sempre com «se fosse meu filho...»

E como o senhor Raposo não trouxe sequer a visão elucidada de alguém mais jovem que procura ser menos «cordeirinho» nada me parece digno de registo - a não ser talvez o facto de o senhor confundir a medicação para a PHDA com algumas gotas que se vendem em smartshops.

 

estará o Expresso assim tão necessitado de colaboradores? ou que critérios levarão à escolha de certos temas? foi o que me passou pela cabeça...Que o assunto tenha merecido destaque nas redes sociais, também não entendi...parece que o texto deu polémica?! por favor! ainda se o homem viesse dizer que para tratar a hiperatividade infantil se devia pôr os miúdos a ver um filme pornográfico eu entendia a polémica. 

 

Fala-se de hiperatividade assim, sem o mínimo respeito por quem sofre desta perturbação porque a burrice é muita e por vezes é mais fácil ser burro do que fazer um esforço para entender