Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

24.Ago.12

dúvidas do mais novo

 

 

(algumas delas absolutamente existenciais)

 

O Quico tem andado muito interrogativo ultimamente, diria até introspectivo algumas vezes...algumas das suas questões mais frequentes são a propósito  dos «insondáveis e misteriosos» caminhos da fé!

 

«mano, quem é mais forte? o Hulk ou Jesus?»

 

diz o Rafa «Jesus, claro!»

 

«Jesus consegue esmagar os prédios? e atirar os camiões pelo ar? e pode mais que o Hulk?!...» aqui resolvo intervir e tentar explicar que a força de Jesus não é bem desse tipo, é uma força que nós sentimos em momentos em que pedimos ajuda e acreditamos nessa força «mas ele consegue matar os maus pois é mamã?»...

 

e uns dias mais tarde, depois de uma explosão de impulsividade do Rafa dentro do carro numa deslocação à praia «mano, olha que Jesus tem armas poderosas, o raio, os trovões e o inferno..» a dúvida é como consegue Jesus usar tantas armas ao mesmo tempo...

 

ou quando passa uma notícia em que se fala de assaltos ou incêndios (temas que o fascinam) ele olha para mim e diz «os maus nunca ganham pois não? porque Jesus é um polícia e ele é muito forte...ele está em todo o lado...»

 

nota-se que ele tem vindo a pensar demoradamente no assunto quando atira com ar sonhador «eu queria ser Jesus!»

 

também faz questões mais específicas sobre as «armas» de Jesus, com especial interesse pelo inferno...que ele considera muito pior do que a cadeia - aliás tem uma teoria para os castigos: os ladrões que só roubam ficam na cadeia. Mas aqueles que são maus, que incendeiam casas, esses vão para o inferno. Só o preocupa o facto de achar que o tal sítio pode ser pequeno para as necessidades, um destes dias perguntou à avó «como cabe lá tanta gente?»

 

e depois existem as questões sobre o inevitável envelhecimento

 

«mamã, quando eu for um senhor assim como o papá...quem brinca com os meus brinquedos?» e eu a disfarçar o riso «bem, se sobrar algum até essa altura, podes dá-los a um filho teu»

O Quico olha-me com ar apreensivo «hummm...meu filho?! e quem tem o filho pra mim mamã? és tu da tua barriga? o papá?» e eu com o meu tom mais sério «não meu amor...quando fores crescido vais ter uma namorada e depois se quiserem vocês têm filhos» e quase não resisto quando ele muito aflito me confidencia em voz baixa «mas...sabes...eu não sei como, percebes? como eu tenho os bebés?...é muito difícil»

 

tanto ou mesmo mais difícil do que a tarefa de se limpar sozinho na casa de banho «mamã quando eu for um senhor podes ser tu a limpar-me o rabo? é que eu acho que não consigo, não vejo atrás...» 

 

Eu acho que o pequeno se preocupa demais...

 

 (post agendado antes do lay-off {#emotions_dlg.blink})

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.