Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

Energia a Mais

A Hiperactividade vista à lupa

13.Dez.12

agendas preenchidas

 

 

e recados escolares com fartura!

 

eis as razões da minha pouca assiduidade pelo mundo dos blogues...

 

Não está a ser fácil conciliar o meu Contrato de Emprego Inserção com a minha vida familiar. Por mais que corra (e acreditem que o faço literalmente) sempre que chego a casa tenho uma série de tarefas domésticas acumuladas a juntar às imprescindíveis «lutas» diárias para manter esta família a funcionar. Talvez se não tivesse dois miúdos com PHDA em casa, as coisas não estivessem sempre perto da ruptura...mas com garotos que em dois segundos são capazes de colocar todo o conteúdo de um guarda fatos espalhado pelo quarto, empurram móveis para sítios diferentes, esvaziam gavetas onde se guardam objetos pequenos que depois se perdem pelos cantos antes de os conseguir-mos reunir novamente, miúdos que por mais ordens que recebam nunca fazem sozinhos (ou pelo menos não sem empurrões) tarefas que lhes competem a eles, miúdos aos quais para que nos ouçam temos de fixar os olhos e definir claramente o que pretendemos, miúdos que nunca se cansam por mais corridas que façam - sim, é impossível conseguir tempo para outra coisa qualquer! Talvez se houvesse um par de mãos/vozes/olhos/ouvidos extra (um par que viesse dividir-partilhar esta aventura) as coisas fossem diferentes. 

 

A verdade é que não dá para mais. Principalmente porque ainda temos de juntar no rol, vidas escolares agitadas. Sempre com recados de um e de outro. Muitos do Rafa que já vai com o limite de faltas de TPC a 3 disciplinas, muitas chamadas de atenção ao comportamento e muitos avisos para que estude e não se esqueça das datas dos testes...e muitos, muitos do Quico, com bolinhas vermelhas que já perderam a função de «aviso» dado que não surtem qualquer efeito no petiz. Muitas fichas em atraso porque não as faz na sala de aula e muitos TPC que não chega a realizar porque me recuso a  «massacrar» um miúdo que tem muitas potencialidades mas está ainda muito imaturo para as conseguir explorar.

 

E depois há também a minha fragilidade emocional que está em alta! muito de mim  está em jogo, se calhar porque me vejo perante um monte de incertezas em que o tempo não ajuda a descortinar soluções. E quando temos as mãos atadas, os olhos por vezes não vislumbram para lá do óbvio. Estou desempregada, tenho de continuar a procurar trabalho e a considerar hipóteses, no entanto passo o tempo a realizar tarefas que me absorvem e não me deixam alternativa. Estou todo o dia a lidar com novas situações, tenho que me adaptar a tarefas que estão muito longe da minha área de trabalho/académica, no entanto sinto que estou a «perder» o meu tempo pois sei que a partir do fim do subsídio, não tenho perspectivas de utilizar as minhas competências. 

 

Quanto às agendas, amanhã o Quico vai com a escola ao Coliseu do Porto ver o Circo de Natal - está hiper entusiasmado. O Rafa tem de preparar em conjunto com os colegas uma «Mesa de Natal» que vai ser apresentada na sexta (dia de festa na escola) e a mamã fo apanhada para voluntariamente fazer um bolo que se enquadre no tema da dita mesa...

 

 

mais palavras para quê? volto quando puder!



Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.