A Hiperactividade vista à lupa

Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2015

neste novo Ano, ainda não relatado em post...

 

tanta mas tanta coisa que nem cabe em palavras!! estou a falar de tudo o que se passa à nossa volta nos últimos tempos, primeiros, deste 2015 que nasceu atribulado! o mundo parece girar a alta velocidade, o que mais assusta é a fragilidade do Ser Humano, numa inconsciência de valores que coloca em causa o mais básico - a Vida!

 

Explicar os acontecimentos de atos terroristas aos meus miúdos é uma tarefa de complexidade elevada, a sério! o mais novo delira com tudo o que mete apontamentos de filme, como os terroristas com armas, as forças especiais de segurança, atentados e sequestros...delira no sentido literal! e como qualquer miúdo com atividade energética para dar e vender, passa logo para a ação! tem sido um verdadeiro surto de atividade «terrorista» cá em casa, eu tanto tenho servido de cobaia num assalto, como polícia que tenta travar um grupo armado que sequestrou reféns...

 

E as análises perspicazes dele sobre por exemplo, a lei que no Reino Unido pretende levar avante a ideia de que os professores devem «denunciar» as crianças com «tendência» para virem a ser terroristas!! que ideia mais parva mamã - claro que se um professor perguntar quem quer ser terrorista, os meninos vão ficar caladinhos...mas se o professor disser quem quer ser terrorista diga já senão chamo a polícia, todos vão levantar o dedo!!!

Quanto ao mais velho, embrenhado no mundo dele, não acha que valha a pena sequer, dar atenção a essas coisas dos terroristas e assim...porque afinal isso não interessa nada para o seu dia a dia! 

E no meio disto tudo temos as nossas próprias peripécias! um mundo todo dentro de casa, onde a cada segundo existem novidades, seja porque vivemos a mil a vinda do pai e a sua partida para mais um dolorosa etapa de separação, seja porque apanhamos sustos valentes com as crises do Rafa, seja porque tivemos de lidar com uma fase complicada em termos de saúde do pai, etc....

 

E assim damos por iniciado este ano! 

 

 

 

 

 

 

postado energia-a-mais às 12:19

Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2014

Que seja mesmo um Bom Natal! símbolo de amor, paz e mais justiça! um Natal mais abençoado para todos

002.JPG

postado energia-a-mais às 15:44

Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2014

mas será que podemos ter férias com miúdos com PHDA? nã....só em sonhos!!!

 

Tenho muito medo do tempo de férias...a sério! nunca nada corre tão mal como quando os miúdos estão em casa, nunca nada é tão difícil de gerir como o tempo de pausa letiva, é só falar em férias que o meu organismo reage logo, qual instinto de sobrevivência, fico logo em estado de «alerta»...para não falar no aumento de trabalho numa casa invariavelmente de pernas para o ar

 

Muitas situações extremas se passam em férias como consequência das pausas na medicação, de rotinas qua acabam por ter sempre alguma alteração, apenas e só pelo facto de os meus rapazes passarem muito mais tempo juntos, o que por si só é complicado! E férias em época do Natal ui, ui...

 

Eles lá sabem aguardar pela data festiva com paciência? eles lá sabem o que é ter de aguardar por alguma coisa?? o Rafa quer que se passe a comemorar a data do nascimento do Menino Jesus logo que entrar de férias da escola (tipo dia 17, porque afinal nem sequer se sabe mesmo com provas de que Jesus nasceu a 25 e não noutro dia qualquer!!). Festejando no início das férias, as prendas seriam também entregues no início das férias, logo teria as férias TODAS para usufruir delas...

O Quico pode não entender nada sobre datas comprovadas mas isso de ter prendas antes do dia 25 parece-lhe muito bem, no calendário o dia 25 ainda vem muito longe!!

 

Estamos a poucos dias da entrada em férias e a tortura já começou - sim, estou a pensar em planos de fuga 

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:50

Quarta-feira, 03 de Dezembro de 2014

entre irmãos são uma norma?

 

muitas vezes assisto a histórias de irmãos que se adoram, se sentem completos na presença uns dos outros e vivem uma relação de perfeita harmonia...mas quando falo dos ciúmes entre os meus rapazes, sobretudo com pessoas com filhos em idades similares, o que ouço é quase sempre «ó os meus são assim também, os meus sentem uns ciúmes, estão sempre pegados, não se dão bem...»

 

Será normal haver aquela «pontinha» de ciúme, aquela competição(zinha) o querer ser o centro? claro que cada irmão tem a sua personalidade e numa casa onde existam mais filhos, muitas diferenças deve haver...eu tenho dois e as diferenças são tantas!! mas onde existe aquela linha que define o normal ciúme, do que é já algo mais? quando sabemos que essa linha foi quebrada? 

 

Os meus rapazes são fogo! ambos conjugam as tais diferenças de personalidade com patologias cujas caraterísticas interferem no comportamento e desenvolvimento das relações. Nada há de normal no relacionamento entre eles...o mais evidente é o confronto - na maioria das vezes, físico. Mas também o verbal com muito palavrão à mistura. A impulsividade do Rafa é simplesmente incontrolável, com ele a explosão é imediata. Se resolve atacar, não olha ao que (ou a quem) está à sua volta. Não mede a força, não mede as palavras, atira com tudo e não consegue parar...é desesperante!

O Quico dá luta, não se fica mas a sua força não é a mesma (por agora). Também não consegue prever as explosões do irmão atempadamente! mas a agressividade verbal, já a usa com toda a sua potência...aplicar palavrões é uma das armas. 

Na última consulta com a psicóloga (na semana passada) o Rafa voltou a dizer que não queria ter o mais novo na vida dele...que ficaria muito melhor sem irmãos, naquela atitude entre a infantilidade e a típica fase de adolescente...

Usar estratégias pedagógicas por agora de nada tem servido! quem passa por isto com os filhotes e como fazem para resolver o dia a dia? separam-os ou obrigam a que façam atividades em conjunto? confesso que ando em constante sobressalto porque não posso deixá-los sem supervisão por um período maior do que uns 30 minutos...já aconteceram tantas cenas a roçar a tragédia que tenho medo de um dia não chegar a tempo...quem me dá umas luzes? 

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:55

Terça-feira, 04 de Novembro de 2014

 

 

Estás feliz? em vez da sacramental pergunta «como correu a escola?»

 

Numa palestra sobre Educação em que também participei, dizia Eduardo Sá «temos a mania de dar demasiada importância à escola na vida da criança, como se após a escola não houvesse mais nada! Basta perceber que a pergunta que fazemos aos nossos filhos, sobrinhos, afilhados, mesmo os que não vemos todos os dias é - então como vai a escola?». Em vez disso afirmou o psicólogo, que tal perguntar «estás feliz?»

 

Concordo! e reconheço que também eu tenho de fazer mais vezes a última e não tantas a primeira! temos de repensar a importância que damos e que queremos dar à escola. O percurso académico é sem dúvida uma etapa necessária à aprendizagem e ao amadurecimento de cada criança mas não pode ser o mais importante, não deve ser o que define o futuro - esse pilar tem de ser a família e por consequência o Ser como indivíduo único!

O que me leva a pensar nas dificuldades dos meus próprios filhos (e de outros como eles) e nas limitações que um rótulo como a PHDA lhes coloca no percurso escolar. O tema da minha apresentação nesse encontro, como mãe de uma criança «diferente» era precisamente este «Sou mais do que as minhas limitações!». E realmente só quem olha para o diagnóstico como uma «prisão» considera que estes miúdos são «limitados». Há todo um mundo para além da escola e o que importa na verdade ter excelentes notas e não conseguir depois enfrentar o mundo?

Muitos pais (e claro o sistema educativo que temos) preocupam-se excessivamente com as notas, com o valor quantitativo dos testes e da avaliação, fazem depender uma série de coisas daquilo que aparece nas pautas - mas estarão preocupados com o que realmente importa? será que é o valor atribuído por uma nota escolar que vai definir a felicidade ou infelicidade daquele Ser, que vai definir o seu futuro, até onde pode chegar?

O mais novo mudou este ano de escola - como sabem os que por aqui passam, saiu do sistema público de ensino e passou para uma escola privada, depois de ter sido reprovado no 2º ano, por não ter notas para transitar para o 3º. Mudei-o porque sabia que não era feliz na anterior escola - lá, faziam-lhe sentir a cada momento, que tinha «limitações» e que não conseguia os mesmos resultados dos outros meninos.

Chegaram-me agora as avaliações dos primeiros testes deste período. O Quico teve um Bom a Português (79%), um Suficiente a Matemática (67%), um Bom a Estudo do Meio (96%) e um Bom a Expressão Plástica. O Quico está radiante, estaria de qualquer modo porque entretanto, em vez de lhe perguntarem as notas, passaram a perguntar-lhe se está feliz - SIM!!!! Ele é feliz, isso é que importa, as notas são o reflexo dessa felicidade - isso sim, já me importa!

 

 

postado energia-a-mais às 10:36

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

contra a falta de sensibilidade de um dos piores ministérios da educação de que tenho memória!

 

e a minha memória anda boa, felizmente - ainda consegue recuar uns valentes anos...

 

Não, melhor dizendo, protesto contra a falta de competência de quem insiste em enxovalhar um ministério que devia ser um dos mais exemplares de qualquer país que se diz desenvolvido. Protesto contra os repetidos e inconsequentes pedidos de desculpa proferidos com ar de arrogância (própria de quem sabe que está protegido contra erros) pelo ministro Crato e seus acompanhantes...

 

Protesto contra a falta de escrúpulos na hora de fazer cortes cegos que tiram o essencial (sim porque a escola é essencial) a miúdos sem alternativa e a famílias que lutam pela dignidade... 

Protesto contra a falta de bom senso que impera quando se fala de escola «inclusiva», quando se olha para as NEE como um fardo que é preciso eliminar da escola e da sociedade...

Protesto contra um país que remete sempre para os «outros» a responsabilidade do que corre mal, como se os «outros» não tivessem rostos, não tivessem nomes, não tivessem culpa...

 

e já agora protesto por ter um filho no 8º ano que continua sem ter aulas de francês, sem aulas de EV e que mesmo diagnosticado com perturbações que afetam o seu desempenho escolar vai ter a mesma avaliação, os mesmos critérios e as mesmas estratégias de ensino de todos os outros ditos «normais»....protesto! 

 

 

 

postado energia-a-mais às 12:24

Quarta-feira, 08 de Outubro de 2014

em estilo montanha russa são um hábito cá em casa

 

A PHDA dos miúdos manifesta-se em muitas das nossas rotinas e mau seria se ainda não me tivesse habituado ao longo dos 13 anos do Rafa, a estes solavancos...

Apesar das diferenças dos meus rapazes, cada um com caraterísticas próprias e a tal mistura genética explosiva, as perturbações que afetam o mais velho são complexas e é com ele que continuo a ter mais dificuldades. A sua instabilidade é grande e tanto estamos a ter um momento feliz e descontraído, como no momento seguinte temos um turbilhão incontrolavel...às vezes noto alguns progressos no seu comportamento, especialmente na questão do autocontrolo e no empenho em terminar tarefas. Mas tanto vejo um passo à frente, como reparo nos passos para trás! sei que isto é mesmo assim e que só com persistência os resultados se tornarão mais consistentes. São perturbações crónicas e irão fazer parte do seu caminho ao longo dos anos, espero que se tornem compatíveis com a sua forma de vida no futuro!!

Se durante uns dias tive um Rafa mais comprometido com o nosso «contrato anual» e disposto a cumprir a sua parte para levar a bom porto os objetivos definidos, nestas duas últimas semanas acabamos por ter muitos momentos aflitivos. Por coisas banais, quase imperceptíveis para os outros, o Rafa teve crises de explosão nervosa assustadora! Continua a ter muita dificuldade em estar em ambientes com muita gente (daí a crise da aula de EF) como piscinas, balneários ou restaurantes...nas nossas mini-férias tantas vezes o Rafa fugiu literalmente para dentro de casa, sempre que havia mais gente na piscina, ou como insistia em sair para tomar café apenas quando não estava ninguém na sala de cafés (e era já um milagre dispôr-se a acompanhar-nos). Ainda não se expande muito em manifestações de carinho, em casa fazemos «terapia do abraço» e instituímos a rotina do «beijo de boa noite», coisas que já consegue fazer, embora às vezes ainda do seu jeito típico (de raspão...) preocupa-me principalmente a sua relação com o Quico. Não são muito próximos e muitas vezes o Rafa nem se lembra do irmão...mas pode ser surpreendente um gesto como o de me acompanhar num dia destes para ir buscar o mais novo à escola - tão surpreendente que o Quico teve uma reação de puro êxtase quando o viu lá!

Lidar com o Rafa é como nunca saber onde colocar os pés! parece que estamos sempre sobre algo frágil, como os ovos...a qualquer momento racham, partem, sabe-se lá...

 

Vamos aos solavancos, um dia de cada vez!

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:19

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

 

 

que fala da adaptação (inicial) do mais novo à nova vida escolar

 

 

 

imagem da net

 

Como sabem os que por aqui passam, este ano letivo trouxe muitas novidades ao meu caçula! O Quico ficou retido no segundo ano do ensino básico, depois de um período de grande stress e de muita luta por apoios educativos eficazes para minimizar as caraterísticas da sua PHDA.

 

A minha opção por um estabelecimento de ensino privado não foi tomada de ânimo leve, até porque não conhecendo em primeira mão a experiência de ter um filho na escola privada, esperei sempre encontrar respostas adequadas na escola pública! mesmo sabendo das limitações impostas por regras e conceitos economicistas e que em muito privam de recursos humanos e financeiros o nosso sistema público.

 

Agora que os primeiros dias já passaram e a natural euforia começa a acalmar, posso dizer que a transição foi tão tranquila como é possível ser numa criança com PHDA. Embora nervoso e oscilando entre o totalmente eufórico com os novos amigos e a relutância em cumprir novas regras, o Quico foi-se integrando e melhor do que isso, foi-se incluindo, sendo incluído por todos dentro daquele estabelecimento! desde a professora, aos amigos e passando pelas auxiliares, todos se comprometeram em adoptar o Quico sem reservas, mostrando-lhe que aquela é a sua escola! 

Desse empenho os resultados são visíveis! a sua atitude perante a escola mudou radicalmente - sai de casa com um sorriso e chega com um sorriso. Não se atrasa a vestir o uniforme pela manhã, mostra querer chegar sempre a horas, acolhe-me com um «oh mãe já vens??? queria ficar mais tempo!!!» quando à tarde o vou buscar...melhor é impossível!

 

A professora considera que o Quico, com a ajuda da medicação, tem o ritmo adequado de trabalho e que apesar das lacunas na aprendizagem vai conseguir ultrapassar as dificuldades com ajuda mais individualizada! Já se mostra mais confiante pois consegue realizar as tarefas (algumas vezes, como no caso da matemática e estudo do meio) sem ajuda, o que o motiva e eleva a sua auto estima. Encorajado por todos, tem sido mais participativo o que o ajuda a resolver os seus problemas de timidez. Claro que há ainda muitas arestas a afinar mas o caminho parece estar mais desimpedido agora!

 

Estou muito satisfeita com a abertura que a Escola demonstra ter e com as propostas educativas que me apresentaram. Até o facto de as crianças terem um apoio extra no final do período da componente letiva, o que permite a realização de trabalho mais individualizado e a não existência dos famigerados TPC! também não existem as tais «bolinhas» vermelhas para punir um comportamento desadequado pois a escola promove um conjunto de regras que exigem uma maior responsabilização de todos, educando pelo exemplo e usando os mais velhos para incentivar os mais novos. O Quico fica muito contente por estar no segundo ano e assim dar «ajudas» aos da pré e do primeiro ano!

 

As atividades extra curriculares são uma aposta da escola e permitem uma gestão do tempo muito mais adequada que na escola pública. Daí que daqui a algum tempo farei um post sobre o assunto.

 

Por enquanto fica a certeza de estar a iniciar uma nova etapa e que os desafios serão necessáriamente diferentes, podendo concentrar-me muito mais no que interessa - a educação do meu filho!

 

 

postado energia-a-mais às 11:45

Quinta-feira, 11 de Setembro de 2014

 

 

em miúdos com PHDA, tranquilidade no regresso às aulas é algo que demora tempo e muita paciência (de pais e educadores)

 

Se para todos as outras crianças ditas «normais» já é complicado por vezes lidar com este retorno depois de tantas férias, imagine-se o que se passará numa cabecinha sempre a mil! o grau de ansiedade, o aumento das instabiliadde de humor, a dificuldade em regressar às rotinas e tudo o que faz parte desta época!

 

Para pais como eu, que tenho de lidar com este acréscimo de atenção e stress, algumas dicas (e por favor, quem tiver outras para partilhar, agradeço que as deixem por cá também {#emotions_dlg.smile})

 

 

Se a criança está a fazer medicação mas interrompeu no período de férias, não esquecer de introduzir novamente antes uma semana do início das aulas para que o organismo se habitue gradualmente. 

Insisto na ajuda preciosa das listas e de como a preparação diária das tarefas simplificam e evitam muitas das crises (birras) comuns a estes dias. Faça listas com a ajuda da criança e seja persistente na sua utilização!

A regulação do sono é fundamental, o horário de dormir deve ser cumprido rigorosamente! muitos pais acham que deitar cedo é ir para a cama à meia noite (!).  Em tempo de escola cá em casa nunca ultrapassamos as 22h30, mesmo com dois miúdos com PHDA e um deles com perturbação do sono diagnosticada aos 4 anos - esse é ajudado com medicação mas as rotinas de deitar são sempre a principal ajuda! Ter rotinas definidas e mesmo certos rituais a cumprir faz com que a hora de ir para a cama seja encarada com mais naturalidade - demora tempo a implementar (garanto) mas consegue-se! e a saúde de todos agradece!

Uma coisa que deve tentar sempre é antecipar as escolhas de roupas e lanches para a noite anterior. Deixar tudo pronto para na manhã seguinte ser mais fácil e mais cómodo para todos. No meu caso, foi preciso ajuda extra para que a hora de vestir não fosse um tormento sem fim (e posso garantir que quando digo tormento, é porque não encontro melhor palavra....durante muito tempo!). Fazer o Rafa obedecer à simples regra de vestir as peças de roupa ordenadamente obrigou-me a procurar estratégias mais originais. Os bonecos de feltro com roupa que se pode colar com velcro ajudaram imenso! são uma espécie de treino para estas crianças - saber que peça de roupa vestir, por que ordem e não esquecer nenhuma parte fundamental! garanto que funcionam.

Outra ajuda são os relógios de tarefas como este que desenhei para o Quico (obrigada Mafalda Queiroz pela dica e pela ajuda na construção). Uso imagens porque para ele é muito mais simples de entender (dado as suas dificuldades na leitura - aqui o importante é simplificar!). Um relógio que tem como função mostrar as mais importantes tarefas do dia (em casa) e cujos ponteiros é ele que vai mudando

 

  

 

Para crianças mais velhas (como no caso do Rafa) podem usar-se chek lists que se podem atualizar sempre que necessário (por exemplo para introduzir tarefas de responsabilidades - caso de arrumar o quarto, limpar a mesa, levar o lixo lá fora, etc.)

Não se esqueça também de reorganizar o espaço para estudo (se necessário) limpando tudo o que se foi acumulando em férias e proporcionando um ambiente acolhedor e mais favorável aos trabalhos de escola. Coloque um quadro de cortiça para anotar recados, datas de exames (testes) TPC, tarefas e recompensas. Ajuda a criança com PHDA a manter o foco!

E não abdique do tempo de brincadeiras com o seu filho! o tempo que passa com ele quando está em casa é precioso e pode mudar a atitude com a escola para melhor! seja proativo e tome a iniciativa de participar nas brincadeiras. Não massacre com perguntas de «como foi a escola» mas guie as conversas de forma a saber o que por lá se passou sem ser estilo interrogatório! e se os primeiros dias não correrem assim tão bem, não desista! vai ter um ano inteiro para implementar estratégias diferentes, lembre-se que a persistência é a chave do sucesso com estes miúdos!

 

Bom regresso à escola!

 

 

 

postado energia-a-mais às 12:06

Segunda-feira, 08 de Setembro de 2014

 

Começa hoje uma nova etapa

 

Nova escola, novos amigos, novo método de ensino! Também para mim como mãe, vai ser uma nova fase. Ter um filho numa escola privada é novidade!

 

São novas as expectativas, embora moderadas quanto ao otimismo...se bem que entre o que se passou na escola pública até agora, no que diz respeito à inclusão do Quico e da sua PHDA, e o que poderá vir a acontecer numa escola privada, algumas diferenças espero vir a encontrar!

 

Por cá darei conta das novidades, sempre na esperança desta partilha também ajudar outros pais que se debatem com as «diferenças» das suas crianças e do exigente «padrão» da escola pública que no nosso pais deixa muito a desejar!

 

 

 

desejo a todos um bom regresso às aulas, aqui fica o nosso «adeus» às férias!

 

 

 

postado energia-a-mais às 11:38

mais sobre mim
que querem saber?
 
Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
27

28
29


disseram agora
Bem, vou directo ao assunto!!Sexta-feira, recebo u...
Boa tardeAlguem tem um feedback possitivo do curso...
Boa Noite. O Pai da minha filha está no Luxemburgo...
Gostaria de saber se conseguiu resultados com este...
Eu recebi pela primeira vez o abono no final do mê...
Boa tarde ,Inscrevi na semana passada a minha filh...
Obrigada. Espero conseguir. Bjs
Deve receber de facto agora em Janeiro os valores ...
Eu em Julho de facto recebi a 27 no entanto apenas...
Olá Marlene, o abono semestral (se a mãe tiver ren...
links
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro